Início > Charlatanismo > A Carne é Fraca?

A Carne é Fraca?

vaca

Posto agora argumentos contra um vídeo bastante veiculado na internet, chamado “A Carne é Fraca”, produzido pelo Instituto Nina Rosa, que se diz combater o sofrimento animal. Vemos nos vídeos um mar de mentiras, “sustentadas” em entrevistas com “ninguéns” que respondem como autoridades no assunto.
Os vídeos se encontram AQUI.

Primeira Parte

Que argumentos são esses? É lógico que a pecuária cresceu, o consumo cresceu, o mundo cresceu, a população cresceu. Agora desde de quando os problemas ambientais citados são argumentos para não comermos carne??? Fazer um planejamento correto, leis mais adequadas e o cumprimento dessas leis estão fora de questão? A única solução possível é parar de comer carne!?
Ora! Os humanos causam muito mais danos que os animais! Quer dizer que as indústrias que poluem o ambiente devem ser sumariamente fechadas, e não fazê-las cumprir a lei e, assim sendo, não causar danos ao ambiente? E os dejetos humanos não causam prejuízos? O que devemos fazer? Contornar o problema achando soluções práticas e mais tratamento de esgoto? Nããããããããããããããão! Vamos cometer suicídio coletivo! É a única salvação!
Incrível isso! Boa parte dos vegetarianos fala de proteger os animais, que animais sofrem e tudo mais. Daí se baseiam nesse vídeo que prega que devemos matá-los, pois haveria menos animais e, consequentemente, menos problemas. Estranho o vídeo não citar quais seriam os gastos e prejuízos causados no planeta se TODO MUNDO parasse de comer carne. Se todos nós comêssemos exclusivamente vegetais. Não iria aumentar a produção? Não iria causar problemas? Será?
Dizem também do desmatamento da amazônia, a amazônia também é desmatada para agricultura. E o vídeo não diz que esse desmatamento é CRIMINOSO. O que devemos fazer? Garantir o cumprimento da lei novamente? BOBAGEM! Vamos parar de comer carne!
E ainda dizer que vai acabar com a fome mundial se pararmos de consumir carne… Francamente. Ia acontecer a mesma coisa, só que com os vegetais.

Segunda Parte

Incrível, ele fala da área desmatada da Amazônia para a agricultura. Que geraria mais emprego e essas coisas. Engraçado que ele não cita que o solo da amazônia é pobre para a agricultura. O solo da amazônia é auto-sustentável. Se vc usá-lo para a agricultura ele será vantajoso apenas por três anos, e depois acabou o solo bom. E os dados precisos: “provavelmente” seria melhor, “acho que 10% ou 20%, não tenho o número preciso, mas é pouco”.
Não fala novamente dos agrotóxicos que precisam ser utilizados! Não fala dos adubo químico que destrói a terra! Nada! Não fala que esses agrotóxicos podem causar sérias doenças em quem os aplica. Não fala sobre as conseqüências dos agrotóxicos na saúde dos homens que consomem os vegetais. Não fala que os agrotóxicos ficam na cadeia alimentar e matam outros animais também! Não falam que os agrotóxicos caem no solo com a água da chuva ou da irrigação e vão contaminar o lençol freático ou os rios! Água essa que os homens também irão se alimentar! Também sofrerão da saúde por conta disso. Água essa que também irá contaminar animais silvestres! Contaminação essa que irá passar pela cadeia alimentar a vários animais! Claro que não falam isso! Em quem iriam botar a culpa? A culpa é exclusivamente da pecuária!
Fala também do nosso sistema econômico… Mais uma vez, a culpa é de nós sermos onívoros? Ou a culpa é do nosso sistema econômico? Devemos parar de consumir carne por causa disso? Então devemos parar de consumir vegetais também, pois causam danos ambientais tão sérios quanto. Deveríamos fazer fotossíntese! Essa é a solução Tudo muito mais praticável do que mudar preceitos econômicos ou adequação e cumprimento das leis!
Quanto as aves. O que precisa mudar? Nossa alimentação ou o tratamento que é despendido a elas? Devemos parar de consumir carne ou mudar o conceito de criação?

Terceira Parte

Repito sobre as aves o que eu disse, sobre esse terceiro filme:  O que precisa mudar? Nossa alimentação ou o tratamento que é despendido a elas? Devemos parar de consumir carne ou mudar o conceito de criação?
Digo o mesmo sobre sobre os bezerros. Devemos fazer o que é fácil ou fazer o que é certo? É fácil ficar em casa, não comer carne, dizendo que é mais saudável (o que é mentira), ficando em paz com a consciência, achando que estamos salvando o mundo, ou os animais. Difícil é tentar melhorar esses tratamentos, difícil é cobrar dos deputados que façam leis contra os maltratos! Difícil é exigir do governo, QUE NÓS ELEGEMOS, a cumprir as leis. É fácil fazer protestos exibicionistas na TV, como aqueles europeus que se embalam em plástico, dizendo-nos para não comermos carne; fica-se famoso ainda por cima:”Olha lá mamãe, eu pelado na tv”.. “Ai filhinho! vc é o orgulho da família!”, Difícil é correr atrás de maneiras legais para impedir o maltrato! Dá muito trabalho!!! É mais fácil ficar em casa, comodamente, achando ainda que é um exemplo.
Novamente.. é incrível, agrotóxicos nos animais eles falam, mas e nas plantas? Não, não existem, não são para plantas! E ele mesmo falou. PROIBIDOS e ALGUNS. Novamente friso: devemos parar de comer carne ou fiscalizar direito?

Quarta Parte

O abatimento nem em todos lugares é dessa forma. Nos mais adequados há todo um tratamento anti-stress para que o animal não libere adrenalina e não endureça a carne.  A tranqüilidade do boi nessa hora é muito importante. Quanto mais macia a carne, sabemos que o boi foi melhor tratado. E repito pela milésima vez: deve-se garantir, por leis e fiscalização, o tratamento adequado dos animais. Serve para os porcos.
Gostaria muito muito muito de saber as substâncias tóxicas que o cara fala no vídeo. Substâncias tóxicas liberadas que nos fazem mal. Ele não fala o nome de nenhuma. Por que? Será mentira? Se isso fosse verdade nenhum animal carnívoro ou onívoro estaria vivo.
Herbívoros não tem câncer? Magina. Bois não desenvolvem câncer. Nem coelhos. Não. http://www.jstage.jst.go.jp/article/jvms/71/5/71_673/_article

UPDATE: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21056799

“Olha a beleza de um pomar, o cheiro. Isso sim é uma coisa natural”
Primeiro tudo aquilo sobre os animais têm sentimentos, os animais sofrem, sentem dor, são uma vida. Agora não são nem naturais. Que belo argumento! Os animais também são bonitos. Os tigres são lindos. Devemos comê-los? Faz lógica. Devemos comer pingüins então também, são bonitinhos.

“O vegetal é bonito, tem de várias cores!”
Que merda de argumento é esse?
Comprei uma revista toda colorida hoje, bonita, e seu papel é proveniente de árvores, então devo comê-la? É isso? Faça-me o favor!
Que tal comermos então um belo cogumelo colorido venenoso? Um fungo é tão natural quanto um vegetal!
Ou então comamos uma salada de comigo-ninguém-pode! Bonita, natural, bem verde!

Quinta Parte

“Se você coloca um coelho e uma maçã na frente de uma criança ela vai brincar com o coelho e comer a maçã, e não o contrário”
Na mente do ilustre desconhecido e gênio incompreendido autor dessa frase isso deve provar que somos herbívoro. Vejam só que interessante, um documentário na Discovery mostrou, a uns 3 ou 4 anos atrás, o esforço de um criador de animais para integrar dois tigres, nascidos em cativeiro, à natureza selvagem. Nunca havia se conseguido antes. Os tigres não sabiam caçar, só sabiam comer a carne já separada do animal; eles não associavam sua “presa” como comida. Foi necessário um árduo trabalho para que eles fizessem essa associação e serem capazes de caçar. Resumindo, até os tigres, carnívoros exclusivos, máquinas de caça, necessitam aprender a caçar. Isso os faz herbívoros será?
Novamente se fala da carne de hoje e não se fala do vegetal de hoje tratado com agrotóxicos. O médico disse de gorduras saturadas, como se nosso organismo não desse conta de digerí-las. Basta-se comer a quantidade certa, e não se empanturrar. Tudo em excesso faz mal. O “médico” omite que temos 3 genes exclusivamente responsáveis por lidar com o excesso de gordura.
Não vou nem comentar o Eder Jofre, pois ele não tem a mínima noção. Carne um dia ou dois no organismo….. nem vou comentar.
O “médico” ainda fala que a carne demora mais para digerir, mas não diz que a celulose não é digerida! Ela fica 3 horas no estômago. Você vê que o “médico” mesmo não diz que a carne apodrece no organismo, porque é uma mentira. E diz que a carne é indigesta. Indigesta? Temos tripsina formada através do tripsinogênio para digerir as gorduras, temos a pepsina para digerir as proteínas, todo um complexo sistema hormonal que garante a ação dessas enzimas, e esse “médico” vêm me dizer que a carne é indigesta?
O boi tira suas proteínas dos vegetais porque são as proteínas que precisa! Os animais herbívoros não necessitam de carne e conseguem produzir as suas proteínas através de proteínas animais, pois os aminoácidos essenciais de um boi não é o mesmo que o de um humano. E eles ficam pastando o dia inteiro para conseguir a quantidade necessária.
Mais uma vez.. os agrotóxicos. Por acaso eles não são usados para os vegetais? Porque não associam isso aos vegetais? Não se fala do impacto ambiental causado para que aconteça essa contaminação animal?

Sexta Parte

E novamente “o vegetarianismo vai mudar o mundo”.
Por que esses vegetarianos querem que todos sejam iguais a eles através de propagandas tendenciosas?? Se fosse um vídeo que realmente se preocupasse com o mundo, não deveria mostrar os dois lados da moeda? Parece propaganda de político! Ou da Polishop. Não há uma visão crítica de todo panorama do problema! Se omitiu tudo que os vegetais causam de mal! Por que? Porque não querem que os vegetarianos sejam críticos em relação aos vegetais também, só aos animais!

Finalizando, um vídeo totalmente parcial, tendencioso, mentiroso e que omite várias informações.
Tudo por causa de uma convicção. E lembremos que Nietzsche dizia: “As convicções são, talvez, as inimigas mais pergigosas das verdades do que as mentiras”. Quando estamos convictos, fechamos os olhos e não queremos saber de argumentos contrários, fazemos nossa própria verdade. Cada um vive no mundinho que merece.

Visite o blog completo

Confira o CONTEÚDO DO BLOG por ordem de popularidade

Veja mais críticas

Anúncios
Categorias:Charlatanismo
  1. Jean Rodrigo Ferri
    agosto 6, 2009 às 22:24

    O autor deste artigo está enganado, o documentário cumpre o seu papel. Segundo a Wikipédia (http://pt.wikipedia.org/wiki/Documentário):

    “Documentário é um género cinematográfico que se caracteriza pelo compromisso com a exploração da realidade. Mas dessa afirmação não se deve deduzir que ele represente a realidade «tal como ela é». O documentário, assim como o cinema de ficção, é uma representação parcial e subjetiva da realidade.”

    O autor lançou mão da crítica pela crítica, com argumentos facilmente refutáveis e sem embasamento, partindo de preconceitos e suposições pessoais. Ele não entendeu nada, não entendeu os conceitos básicos do documentário.

    O que está em questão no documentário são basicamente 3 itens:

    – Saúde pessoal e coletiva
    – Ecologia
    – Ética

    A parte da ética é o que o autor do artigo não entendeu ou não quis entender, baseado em seus preconceitos. Nas outras duas seus argumentos não se sustentam.

    Para concluir, existem outros dois documentários que dão sustentação a este documentário, veja em:

    Uma Verdade Mais Que Inconveniente:
    http://comunicacaochapabranca.com.br/?p=4043

    Terráqueos:
    http://comunicacaochapabranca.com.br/?p=3949

    • girsaum
      agosto 7, 2009 às 00:40

      Olá, obrigado por comentar.

      Vamos aos pontos.

      1. Citar wikipédia é meio controverso, mas tudo bem. Cumpre seu papel, sim, enganar as pessoas com mentiras. Tais como “os herbívoros não têm câncer”.

      2. “O autor lançou mão da crítica pela crítica, com argumentos facilmente refutáveis e sem embasamento…”
      Ótimo dizer isso, mas seria mais interessante refutá-los, visto a facilidade nessa ação.

      3“…partindo de preconceitos e suposições pessoais.”
      Minha intenção aqui é incitar a crítica e alertar sobre as mentiras presentes aos montes no documentário.

      4. O que está em questão no documentário são basicamente 3 itens:
      – Saúde pessoal e coletiva
      – Ecologia
      – Ética
      A parte da ética é o que o autor do artigo não entendeu ou não quis entender, baseado em seus preconceitos. Nas outras duas seus argumentos não se sustentam.

      Não entendi nada? Entendi que é um vídeo altamente tendencioso, que ignora todos argumentos contrários para levar as pessoas a serem vegetarianas. Ou seja, ele não se importa com a verdade. Que ética há aí? Onde está a ética em dizer que a carne apodrece no estômago, o que é uma mentira absurda, para que as pessoas sejam vegetarianas fanáticas? Qual a ética do vídeo em deseducar o espectador? Se um “documentário” não é capaz de aplicar ética (no caso o compromisso com a verdade) como podemos tomá-lo como referência ética a respeito dos animais?
      Já que meus argumentos não se sustentam, indique-os e critique-os que eu ficarei satisfeito em discutí-los. Esse é meu intuito.

      5. Tentarei assistiuraos outros documentários quando tiver tempo e discutí-los se assim for possível.

      • Jean Ferri
        agosto 7, 2009 às 14:26

        Gil, não tenho tempo para ficar preso em discussões cíclicas rebatendo cada argumento preconceituoso seu. Vou citar um deles, por exemplo, o documentário não trata a questão do câncer como algo existente em carnívoros e não em herbívoros, mas sim, sua maior incidência devido a maneira como os animais de abate são criados e tratados hoje em dia. Você pode entender um pouco melhor isso no documentário:

        O mundo segundo a Monsanto:

        E ademais, você ainda não entendeu a ética para com os animais, essa que é a idéia de ética nesse e nos documentários que te sugeri. Após assistí-los, talvez você perceba do que se trata!

      • girsaum
        agosto 7, 2009 às 19:52

        Não não, nada disso. Ele diz com todas as letras “NÃO SE TEM NOTÍCIA DE CÂNCER EM ANIMAIS HERBÍVOROS”, não há como afirmar isso que você diz. E gostaria de ver um artigo científico que concluísse isso que vc acabou de dizer. Caso seja verdade, ficarei feliz em debater.

        Outra coisa é que vc está fugindo da discussão, não custa tanto tempo botar em linhas suas críticas. Só para frisar, a ética, para mim, começa com ter compromisso com a verdade. Qualquer coisa, caso eu escreva sobre os vídeos (sim, eu os assistirei assim que tiver tempo), eu lhe aviso. Se, antes disso, tiver tempo e quiser discutir e debater, basta escrever. E obrigado pelo tempo despendido com o que eu escrevi.

        Abraços

  2. deeh
    agosto 10, 2009 às 17:07

    Se informe melhor da próxima vez que resolver sair criticando os documentários que mostram a realidade da sua comida, e só mais uma coisa:Os animais de criação são herbívoros e para abastecer o mercado da carne são gastas quantidades enormes de água e cereais, sendo que em uma alimentação vegetariana esses índices são muito menores…pois além da água gasta com os vegetais também tem a água gasta com os animais…
    Abraços e se informe melhor!!!

    • girsaum
      agosto 10, 2009 às 19:18

      Mostram a realidade? Estranho, eu apontei várias SÉRIAS mentiras e ninguém conseguiu, até agora, que eu estou errado e que elas são realmente veradade.

      Quanto a água, eu não citei sobre o consumo, mas devemos notar que consumo não significa disperdício, achei uma página interessante sobre a quantidade de água necessária para diversas atividades. Quem estiver interessado, aí está a sugestão: http://www.dec.ufcg.edu.br/saneamento/A5.html

      Continuando, a água é sempre reposta ao meio ambiente e é sempre possível potencializar seu retorno. Mas como eu disse no texto, é engraçado os vegetarianos protegendo os animais: causamos muito mal ao comermos sua carne, mas eles causam um grande mal consumindo tanta água. Caso todos viremos vegetarianos, esses animais deixariam de existir? Acho que não, mas aí mora um paradoxo… todos os humanos deixam de comer carne, os pastos são substituídos por plantações… o gado seria então… libertado?… então faltaria pasto para o gado talvez… muito deles morreriam de fome, talvez, ou sede. Bom, é um ponto de vista, é meio como defender a morte desses animais que hoje estão vivos para corte, enfim.

      Acabei me desviando do assunto um pouco, mas perceba que falei sobre a contaminação com agrotóxicos, que é um caso sério. O filme cita absurdos de conter pesticidas em animais, mas não fala dos vegetais. Considero um problema muito mais sério, mas não descarto a importancia em se otimizar o consumo de água e seu retorno saudável em relação ao ambiente.

      Engraçado foi que vc disse sobre algo que eu não tratei mas se “esqueceu” de dizer onde está minha desinformação sobre os assuntos que eu de fato tratei.

      Continue participando e, caso queira, responda aos meus argumentos. Críticas são sempre bem vindas para que cheguemos a cada vez mais perto da verdade.

      Abraços

  3. Daniel
    agosto 26, 2009 às 04:16

    “Só para frisar, a ética, para mim, começa com ter compromisso com a verdade.”……so essa frase ja te denuncia…ehehehe…o q e verdade???
    vc acha q vota de verdade escolhendo seu politico??? hahahaha…vc viaja mesmo hein……q mundinho e esse seu em q existe democracia??? vc tb faz parte sr girsaum, da ditadura de informacao…….
    e resolve sim ficar em casa sem comer os animais…….hj a revolucao do mundinho e interna, pessoal……melhorando vc mlehora o mundo…nao percebeu ainda??? vc acha q alguem vai ouvir vc??? sem dinheiro meu amigo, niguem te escuta nesse mundinho……entao, ve se muda vc e quem sabe assim a gte consegue mudar…….revolucao e interna!!!

    • girsaum
      agosto 26, 2009 às 18:58

      Daniel,

      É interessantíssimo que certas pessoas, quando não têm o conhecimento suficiente para argumentar algo que outra pessoa defende, trata ou simplesmente comenta, começam a atacá-la a partir de coisas que ela não disse. Eu, na sua posição, ficaria envergonhado de ter escrito tal incoerência medíocre e abnóxia. A ciência tem compromisso com a verdade, a verdade, nesse caso é a propriedade de estar conforme com os fatos ou a realidade, a fidelidade de uma representação em relação ao modelo ou original. Portanto, nesse caso científico, a verdade é o oposto do que praticamente todo “documentário” afirma. O caso de “herbívoros” não terem câncer, além de não ser verdade, é uma canalhice absurda. E não sou eu quem fala isso, basta estudar que verá, coloquei até um link para pequena demonstração. Não tenho medo de escrever o que eu afirmo, se alguém discorda de algo, ótimo, basta procurar na literatura e me provar o contrário, não há mal nenhum nisso.

      Por isso, acho engraçado também vc me acusar de “fazer parte da ditadura da informação”, quando que tudo que eu faço aqui é passar a informação, que eu adquiri estudando, para todos que quiserem ler, aprender, discordar, discutir. Mas nada tão hilário quanto a arrogância de um crente que rejeita as evidências, as informações científicas, para defender uma causa pobremente idealizada, chegando a fazer comparações totalmente incoerentes sobre o que eu escrevi, falando sobre política.

      Não posso nem dizer que seus argumentos são pífios porque vc não possui argumentos. Filosofia de inculto é realmente uma pantomima. Perceba a infantilidade “melhorando vc melhora o mundo”. Lindo, quem disse que parar de comer carne é melhorar? De onde vem a lógica de que um vegetariano é “melhor” do que uma pessoa que come carne?

      Bom, tudo que vc escreveu é incoerente, passando pela sua frase de dinheiro… Realmente uma “incontextualidade” colossal. Apenas agressão infantil gratuita de quem não tem o que dizer e se vê amedrontado quando confronta argumentos sólidos contrários a tudo o que ela acredita. Talvez isso aconteça porque há vidas que são tão desprovidas de sentido que se apegam numa causa inconsistente e a tomam como mote de vida, sem se interessar com todos os assuntos pertinentes. Esse seu discurso chega perto do fanatismo ignóbil e insano de terroristas.

      Mais uma coisa, ninguém está me ouvindo, mas alguns estão lendo. Procurando no google se é capaz de achar meu blog e ler o que eu escrevi. Discordando basta escrever que eu aceito e respondo, como aconteceu com todos que até então comentaram na postagem. Minha intenção é essa, promover discussão. Até agora, realmente, não obtive sucesso. Nenhum comentário foi dotado de nenhum argumento consistente, mas o seu foi de longe o pior de todos. Concluindo, é o seguinte, aceitei seus impropérios, os li e respondi, o que foi uma tarefa totalmente inútil. Caso discorde e queira mostrar que está certo, aceitarei de bom grado os argumentos, mas caso venha com mais infantilidades espurcas, guarde seu tempo, nem vou ler.

      Fica como exemplo.

      Abraços

  4. Clécio M N Gonçalves
    setembro 1, 2009 às 12:14

    Eu compreendo que o vídeo A Carne é Fraca possui elementos suficientes para construirmos uma resposta definitiva de amor e proteção aos animais. É impossível que não exista algum paradoxo ou contradição no teor das afirmações. Mas o que importa? Se fosse um vídeo sem nenhum áudio para mim ja bastaria para compreender que tudo se trata de uma relação de dominação e uso. O homem ainda não desceu do seu pedestal antropocêntrico. Isso culmina em toda forma de mecanização dos sentimentos. Sem falar que pequenos grupos são detentoras das abundantes somas de capital advindas desse comércio (ou vício) não questionado. Quando criança tinha receio de ir ao matadouro, mas não resistindo a curiosidade via animais, na sua totalidade de vida, morrerem de uma forma tão violenta, e se transformarem em pedaços que logo mais estariam no açougue. É paradigmático. Temos realmente, em nossa vida, o direito de usar a nossa força e superioridade intelectual, para inferiorizar a capacidade emocional dos animais, a ponto de destituí-los de suas vidas? A ponto de serem a diversão e o status do nosso paladar? Quando vejo o corredor da morte dos matadouros sempre lembro-me dos judeus esqueléticos em fila. Toda a nossa inteligência tem servido de nada, somos realmente um virus maligno e sem cura, o verdadeiro câncer se consome e transforma a beleza em ferida. Somos uma população de zumbis num mundo vermelho; O mundo, tal como está, se resume num teatro de duas coisas: Maldade e Ilusão!

    • girsaum
      setembro 15, 2009 às 19:10

      Olá Clécio,
      Finalmente alguém aqui falando com inteligência. E por isso agradeço a atenção.

      Mas discordo bastante de vc. Primeiramente, não é impossível que haja paradoxo ou contradição, basta os argumentos serem fortes. Mas o grade problema, a meu ver, é que o documentário MENTE DELIBERADAMENTE em várias informações. Por que não argumentar de maneira sóbria e consistente como vc fez? Por que seria necessário dizer mentiras tão absurdas quanto “a carne apodrece no estômago”, “não há herbívoros com câncer”, “se todos fossem vegetarianos a fome iria acabar”, “o ser humano não foi feito para comer carne”… Qual o motivo? Por que também usar argumentos tão ridículos quanto eles usam? Quando eu vejo isso imediatamente eu penso que há algo por trás, algo oculto e perverso que guia. Eu não sei o que é, e não vou fazer acusações a esmo mas, ao meu ver, alguma razão tem para que haja essas mentiras… alguém lucra algo, e muito, criando uma legião de fanáticos. O vídeo, definitivamente, é sensacionalista.

      Agora, em relação a sua visão, tomo a liberdade de transcrever alguns argumentos seus para melhor expor a minha opinião.

      “O homem ainda não desceu do seu pedestal antropocêntrico. Isso culmina em toda forma de mecanização dos sentimentos.”
      Eu vejo o oposto. Estão antropomorfizando os animais. Estão humanizando os sentimentos. Somos outras espécie, os nossos sentimentos não são iguais ao dos outros animais, somos diferentes. Os seres humanos costumam a comparar todos animais com ele próprio, mas não é assim que funciona. Apesar disso, somos também animais, temos nosso instinto, temos nossas características selvagens. O homem é um caçador por natureza, não concordo que esteja havendo uma “mecanização dos sentimentos”, até porque sempre fomos onívoros, e sempre caçamos, matamos, para nos alimentar, a ingestão de carne não é algo novo para os humanos, por isso penso que está havendo uma “sentimentalização” de determinadas coisas.

      Temos realmente, em nossa vida, o direito de usar a nossa força e superioridade intelectual, para inferiorizar a capacidade emocional dos animais, a ponto de destituí-los de suas vidas?
      Estranha essa sua pergunta, ela é falaciosa. Veja bem, a capacidade de tirar a vida de outras espécies é independente da capacidade intelectual humana. Há uma “antropomorfização” dos animais, como eu disse. Nosso sistema límbico é MUITO mais desenvolvido que dos outros animais, ou seja, a capacidade emocional dos animais É DE FATO inferior à nossa.

      “A ponto de serem a diversão e o status do nosso paladar? Quando vejo o corredor da morte dos matadouros sempre lembro-me dos judeus esqueléticos em fila.”
      O sofrimento dos animais não é humanizado, ele não é igual ao nosso. Por isso não se pode comparar animais sendo mortos. Não se pode comparar, desta maneira, uma espécie com outra. Toda espécie preza por sua própria sobrevivência.

      Bom, eu vejo as coisas dessa maneira, não acho anti-ético nos alimentarmos de animais. Mas cada um tem sua opinião e, caso ela seja bem fundamentada e não criada a partir de mentiras imundas e desprezíveis, tem meu respeito.

      Abraços!

      • Clécio M. N. Gonçalves
        julho 5, 2010 às 19:39

        Meu Caro Girsaum, nem mais lembrava do worldevolution, estava colocando meu nome no google para ver se tinha construído com sucesso um blog e vi referência a meu nome nesta página e então lembrei do meu comentário no ano passado. Bem, fico feliz que tenha dado atenção e respondido de maneira tão cordial. Estou de passagem, mas intenciono ainda nesta semana me posicionar sobre os seus argumentos. Havia deixado de pensar sobre este assunto, mas sempre que dou carne à minha filha de dois anos vem um interrogação de relance. Grande abraço! Aguarde minha resposta!

        Clécio M. N. Gonçalves

  5. Marcos Chaves
    setembro 18, 2009 às 16:50

    Hey, se é opinião de profissionais que você quer, até na TV Globo passou entrevista com uma nutricionista que falou dos benefícios para a saúde para quem não come carne. Citou até pesquisa científica, veja:

    Parte 1:

    Parte 2:

    Abraço!

  6. Angelica
    setembro 23, 2009 às 09:22

    olá…Parabens pelas critica feita ao filme

  7. Angelica
    setembro 23, 2009 às 09:26

    Parabens pela critica ao documentario A CARNE É FRACA, precisei fazer uma pesquisa sobre isso e encontrei num site vegetarianismo.com.br um artigo que fala “Pra que serve um Boi”…achei muito interessante.

    Muitas pessoas à primeira vista podem achar que a resposta para essa pergunta é óbvia: para produzir carne. A resposta não é tão simples assim… ele serve para produzir carne também, mas são produzidos inúmeros outros produtos a partir de um boi. Muitos desses produtos, nem mesmo os próprios pecuaristas sabem que foram produzidos a partir do produto que ele criou e vendeu ao frigorífico.

    Esse é um assunto muito interessante, e com certeza vai surpreender muita gente, pois a maioria das pessoas não tem idéia do que um boi pode originar… Não vamos nem comentar sobre a carne, pois acho que todas as pessoas sabem o destino desse componente.

    Quem tiver curiosidade acesse o site e se surpreendera.

    Abraços

    • girsaum
      setembro 23, 2009 às 18:34

      Obrigado pelos comentários e pela dica Angelica! Realmente não é só a carne do boi que é aproveitada, muito bem lembrado.

      Grande abraço

  8. novembro 4, 2009 às 19:49

    Pois e meu amigo… vc esteriotipou os vegetarianos (macros) e os filhinhos de papai que nunca foram ao campo e nao sabem como sao produzidos os alimentos que eles consomem. E muito mais facil assistir o Al Gore falar que o clima esta mudando, que a agropecuaria e um dos responsaveis pelo juizo final em um monitor de LCD 32″ comendo pizza de tomates secos com rucula entregue em casa do que ir para o interior e ver de onde vem toda a riqueza que o pais produz. Sou formado em oceanografia, mas por opcao administro uma fazenda de minha familia e te digo com certeza, 90% dos estudantes de biologia, ecologia, oceanografia e historia (esse nao pode faltar ne) sao todos assim, hipocritas maconheiros (new-hippies, 200 R$ por uma camisetinha I LUV PETA… e por ai vai), e tem tb os radicais, que nao comem carne mas se entopem de proteinas industrializadas (esses shakes da vida ai) e acham que estao abafando, fazendo o maior bem do mundo para a natureza e para si mesmos. Uma pergunta seja feita: o que parece ser mais natural, um de bife de alcatra vermelho e tenro ou um bife de restolho de processamento de soja com corante para nao ficar amarelo palido ( vulgar pacoquinha de refugo de soja)?

    Uma vez conheci um cara na faculdade que era militante do Greenpeace (filinho de papai, surfistinha e por ai vai), cassava navios de pesca e tal… por incrivel que parece, um jargao que ele utilizava muito era chamar as pessoas que nao concordavam com os WWFs da vida de OBTUSOS… pasme… isso e o que melhor descreve algumas mentes brilhantes que postaram por aqui rsrsr… to rindo ate agora do cara que citou o wikipedia ai pra cima…
    Bom, e isso… a critica foi boa, cada um e livre pra fazer o que quiser com a vida ne, mas ficar empurrando vegetarianismotrash pra cima dos outros e FODA! Abracos e desculpa os erros de grafia… os macro nao merecem tal formalidade.

    • girsaum
      novembro 4, 2009 às 20:52

      Pois é amigo, como vc disse, é fácil salvar o mundo na poltrona de casa. Eu sou biólogo, veja vc, e tem gente que fez curso comigo que nunca havia visto uma vaca porque não tinha no zoológico… Há ainda biólogos que afirmam que a carne apodrece no estômago e tudo mais… Bom, nem há o que falar. Muito obrigado pelo construtivo comentário, achei muito bom, com destaque para a pergunta abaixo:

      “o que parece ser mais natural, um de bife de alcatra vermelho e tenro ou um bife de restolho de processamento de soja com corante para nao ficar amarelo palido ( vulgar pacoquinha de refugo de soja)?”

      Abraços!

    • Rafaela Almeida
      novembro 4, 2009 às 22:47

      Pseudo-intelectuais como você, há 150 anos atrás achavam normal acorrentar seres humanos, fazê-los trabalhar forçadamente, vendê-los como mercadoria, privá-los de sua liberdade e de sua vida. Hoje não se concebe como a escravidão e o preconceito puderam ter sido geridos por seres considerados “inteligentes”. Em alguns anos, talvez você perceba o que você está fazendo hoje com os animais, ó ser iluminado…

      • girsaum
        novembro 5, 2009 às 00:11

        Os “protetores” dos animais sempre vem com falácias. Primeiro, vc não soube refutar nenhum dos argumentos que eu postei. Depois vem tentando minimizar o autor do texto, eu, no caso, me chamando de pseudo-intelectual. Pra finalizar vc faz uma comparação absurda entre nossa alimentação e os escravos.

        Mas eu entendo. Como eu costumo dizer, quem não tem conhecimento necessário e/ou não sabe refutar argumentos, sempre começa a “réplica” com uma tentativa de agressão, continua com tergiversação e termina com uma ironia pobre…

        Perceba, cara Rafaela, que vc não tratou, em sua resposta de NADA que eu postei. Leia novamente por favor. Se tiver algum comentário a fazer a respeito do que está escrito, responderei de bom grado, como fiz com todos aqui.

        Agora vou responder suas falácias só porque eu me divirto com isso.

        Chega até ser cômica a já gasta comparação que fazem entre o período de escravidão e a pecuária. Primeiro, vc mesmo disse, na escravidão estávamos aprisionando e nos aproveitando de seres humanos, era uma espécie aprisionando menos privilegiados da própria espécie. Eram seres humanos dizendo que seu semelhante era diferente, negando-lhes direitos que ele próprios possuíam por sua capacidade. Então os brancos inventaram que os negros eram menos capacitados e não conseguiam exercer um papel social tão importante e influente. Os animais não são seres humanos, eles não raciocinam, eles não tem capacidade intelectual de gerar mão-de-obra, de fazer contribuições econômicas, de atuar no mercado de trabalho e demais atividades óbvias de que APENAS seres humanos são capazes de fazer. No período de escravidão, tratavam os negros como animais. Melhor dizendo, tratavam os negros de maneira bem pior do que se trata outros animais hoje.

        Me responda, qual seria a importância social de uma vaca “livre”? Ou, qual seria a diferença para a vaca ela estar “livre”? Algumas respostas me vêm à cabeça… uma vaca “livre” não teria pastos imensos tratados para comer, não seria vacinada contra febre aftosa, não teria proteção contra predadores etc. Com certeza, haveria muito menos vacas. Outra coisa, uma vaca não pode escolher, ela não tem capacidade intelectual para isso. Seu comentário é sinal da antropomorfização dos animais. Eles não são humanos, como eu já disse em algumas respostas anteriores. Leia também.

        O que a “libertação dos animais” acarretaria na melhoria de nossas vidas, além de uma zoonose de gados pelo mundo inteiro? Veja que interessante… Teríamos que soltar os animais, não poderíamos matá-los, não haveria comida para todos e teríamos que esperar a grande maioria morrer de fome. Depois que conseguíssemos contornar todos esses seríssimos problemas resultantes da ação impensada, desde econômicos até ambientais, qual a utilidade teria a vaca livre? Ou a ovelha, ou o porco?

        Aliás, essa antropomorfização dos animais “miguxos” é o que mais atrapalha o bom trato com os animais. A vaca, a ovelha, o porco, têm a perpetuação de suas espécies garantidas enquanto o homem estiver na terra. O fato de suas carnes, lãs, pelos, serem úteis para os homens acarreta numa proteção do próprio homem. Os animais que realmente necessitam de ajuda são os que estão nas florestas que vêm sendo desmatadas, queimadas. São os animais que são caçados por esporte, para decoração etc. Isso sim causa danos sérios, imensos, ao nosso ambiente e à nossa vida.

        Não é preconceito tratar um animal de acordo com suas capacidades e utilidades. E é uma estupidez dizer que eles são como humanos.

  9. Adriana Amorim
    novembro 5, 2009 às 06:25

    Caríssimo!

    Vamos ver se meu comentário vai ao ar desta vez…

    A questão não é comer ou deixar de comer animais. A questão é como o ser humano passou a tratar seres considerados “inferiores” com o advento da industrialização. Hoje é muito fácil e prático se alimentar de animais, sem sequer perceber que por trás daquele “delicioso” hambúrgue existe um ciclo cruel e criminoso. Sim, crimonoso. Pois, para alimentar milhões de pessoas que prejudicam a própria saúde, é preciso engordar a força e confinar animais para que sua carne nobre seja retirada e o resto seja processado para virar aquele hamburgue “delicioso”.

    A questão não é você comer carne. Quer comer? Crie suas próprias galinhas, vacas e bois. Além de ser mais saudável, você dará uma certa “razão” de viver aos seus animaizinhos de “estimação”.

    É sabido que a produção de alimentos no mundo supriria a fome da população humana, mas graças à massificação da indústria da carne, grande parte dessa produção vai para consumo animal. Ou seja, a carne que você come é responsável pela fome de gente como você.

    Mas a estupidez, ignorância e egoísmo fazem com que a maior parte da humanidade não perceba isso.

    O ser humano não precisa mais matar para comer. Existem incontáveis opções gastronômicas mais saudáveis e saborosas.

    Quando a libertar todos esses animais confinados? Concordo que não seria uma alternativa viável. Ai, sim, boa parte teria que ser sacrificada, pois há realmente muitas “unidades”, graças à ambição humana.

    E outra. Você não pode achar que seja dono de algo neste planeta. Assim como você deseja viver, seu cachorro ou gato ou o que quer que seja também tem direito à vida. Mas não curta e sofrida como leva um animal de abate. A questão também é pela vida. Ela é comum a todos.

    O homem, ao comê-los, está prejudicando a si próprio, cavando a própria cova, pois a indústria gera poluição das águas, do ar, dos aquíferos.

    O consumo de carne não é necessariamente prejudicial. Vivemos de caça e coleta por milhares de anos. A industrialização da carne, essa sim é prejudicial ao meio e, consequentemente, a nós.

    Aliás… você diz ser biólogo, é isso mesmo?

    • girsaum
      novembro 5, 2009 às 19:06

      Olá,

      Basta responder com educação e com assuntos a tratar que, sem dúvida nenhuma, eu autorizo. E não autorizarei comentários que começam e terminam com xingamentos, como foi o caso do seu anterior.

      Primeiro, não me digo biólogo, eu sou biólogo, registrado no CRBio.

      Gostaria de ter a comprovação de que “a produção de alimentos no mundo supriria a fome da população humana”. Na verdade, não entendi direito. Produção de vegetais que vc diz? Hoje mesmo a produção de alimentos supre a necessidade humana, o problema é o desperdício de alimentos (que é enorme) e o fato de que, no capitalismo, quem não tem dinheiro não tem comida. Se joga alimento fora mas não se dá a quem precisa, e nada disso me parece ser “culpa da carne”. É totalmente falaciosa a declaração de que quem come carne mata de fome outra pessoa.

      É também um mito que a inclusão de carne na dieta é menos saudável, tudo depende da maneira que a pessoa se alimenta, a alimentação deve ser balanceada. Tem pessoas vegetarianas mais saudáveis do que as não vegetarianas e vice-versa, pois uma dieta vegetariana desbalanceada também não é saudável. Esse é um falso argumento bastante utilizado pelos que são contra o consumo de carne.

      Lembre-se que o homem também tira a vida do vegetal pra comer. Praticamente todo ciclo de vida animal é assim, somos obrigados a tirar a vida de outro ser vivo para sobrevivermos. Todos tem direito a vida? Sim. Nos alimentando de vacas, carneiros, porcos, não estamos condenando a espécie a morte, na verdade estamos garantindo sua sobrevivência, como eu já disse. É, realmente contraditório. Mas o fato é que são os animais dos quais não nos alimentamos que estão em verdadeiro perigo. Discordo também que os animais são “inferiores”. Todos animais viventes atualmente são tão evoluídos quanto nós, senão não estariam aqui, mas isso não significa que somos iguais.

      Estranho vc tratar que a questão não é comer carne, dizendo em indústria da carne e tudo mais e não analisar que também se há uma indústria igualmente gigantesca na agricultura, onde as terras são tratadas quimicamente devido monuculturas, que acarreta em empobrecimento do solo, onde a cana-de-açucar é queimada poluindo o ar, onde os vegetais são alterados geneticamente para suportar uma grande quantidade de agrotóxicos neles despejados, resultando em contaminação do solo, dos lençóis freáticos e dos humanos que se alimentam dele. Todo grande cultivo gera prejuízos ao meio ambiente e ao homem, ainda mais se não forem bem planejados, como muito acontece. Assim sendo, como vc disse, o homem que come vegetal também está prejudicando a si próprio, cavando a própria cova etc etc…

      Bom, eu já tratei disso no texto mesmo. Todo prejuízo que a indústria da carne traz, a indústria agrícola também traz. Agora, se alguém é contra o consumo de carne pelos motivos que vc aqui expôs, também deveria ser contra o consumo de vegetais.

      • Alex
        fevereiro 1, 2010 às 15:23

        Acho que o que a Adriana quis dizer é sobre a alimentação dos bois, a quantidade de comida produzida, especialmente soja que so pela sua produça no Brasil ja destroi quilometros e quilometros de florestas, poderia alimentar muito mais gente mas é utilizada na alimentação do gado, que em troca rende menos comida e por um preço mais caro. Nao só comida, mas também água é gasta na alimentaçao desses animais. É inegável que a produção de carne hoje em dia prejudique, ou deixe de beneficiar a maioria da populaçao em prol de uma minoria com mais recursos. Sabemos (bom nem todos sabemos) que está longe da pecuaria ser a unica culpada, a logica do mundo ainda nao mudou, a maioria nao é visada, a minoria ainda detem o poder e nao faz nada a favor de uma mudança. O mundo nao tem a menor consciencia de suas acoes a longo prazo, a maioria ainda pensa em seu bem estar em primeiro lugar, é uma coisa dificil de lidar. A industria da carne nao é ideal, mas está longe de ser a principal culpada.

      • girsaum
        fevereiro 1, 2010 às 19:33

        Acontece que o Brasil produz o chamado “gado verde”, que se alimenta do pasto, não de ração. Esse é um dos motivos da carne brasileira sem bem vista lá fora… Bem vista e competitivíssima, não por acaso os europeus inventaram os boatos de que o gado brasileiro também fora atingido pelo chamado “mal da vaca louca”. Eles estavam perdendo terreno.

        E concordo com vc, a indústria da carne está longe de ser a ideal, assim com a agricultura massiva, baseada em monoculturas, adubamento químico pesado e pesticidas potentíssimos também está longe de ser a ideal. Como vc disse, está longe de ser a principal culpada, e alguns vegetarianos deveriam parar de tentar convercer os menos informados na marra, com mentiras e suposições que fogem totalmente da realidade.

        Muito obrigado pelas suas ponderações e seja sempre bem vindo.

        Abraços

      • Beto
        fevereiro 1, 2010 às 21:37

        Não é só sobre o gado essa questão que vocês discutem aqui, é sobre os animais como um todo. Nós nos apropriamos deles e os tratamos como coisa, maltratamos, assassinamos e etc, sem considerar seus sentimentos (dor, medo, angústia, alegria, etc). Descendemos dos animais e nos julgamos melhores, subjugando-os a mera mercadoria. Sem falar em coisas insanas que o homem faz com os bichos, como no seguinte vídeo:

        http://www.peta.org/feat/ChineseFurFarms/index.asp

        É ou não insano? Os animais não tem o direito a vida nesse planeta, assim como nós temos?

      • girsaum
        fevereiro 3, 2010 às 23:54

        Já conhecia esse vídeo, ele é da China, e lá não são só os animais que são tratados assim, os humanos também são. Todos sabemos que precisamos dos animais para sobreviver, e precisamos garantir a sobrevida das espécies e zelar pela fauna. Devemos também garantir bons tratos e fiscalizar as condições em que os animais vivem e são mortos para nos servir de alimentos. Acho que ninguém aqui defende isso, mas não acho que isso seja um argumento a favor do vegetarianismo.

        Abraços

  10. Caio Resende
    dezembro 16, 2009 às 12:43

    Sou realmente abismando com essas pessoas que viram um video e ficam com nojinho de comer.

    Se vocês têm nojo, asco de comer animais não culpem o resto (principalmente meio ambiente) para se basear na sua opção de não comer carne. Apenas não coma, veja as consequencias do fato e talvez as demostre com educação. Não fiquem querendo “envagilizar as pessoas” porque isso é chato.

    Sempre vamos querer comer carne, vegetarianos são uma geração formada no apartamento da avó, criada a leite com perâ.

    Antes que perguntem, eu não me bastei em ver matando animais. Eu mesmo matei, e acho isso natural. Matei animais que eram meus para comer e digo que essa carne e até mais saborosa.

    Fiquem com seus nojos. Mais não divulguem mentiras com suas ideias.

  11. RICARDO
    janeiro 9, 2010 às 20:51

    SEGUNDO ESTÁGIO DA VERDADE:
    – OPOSIÇÃO VIOLENTA.
    Se quer um verdadeiro argumento para não comer carne veja EARTHLINGS(Terráqueos). “A carne é fraca” mostra apenas os danos da pecuária.

  12. ArgoNautaRS
    janeiro 19, 2010 às 12:20

    Buenas…na verdade TODA monocultura, seja ela vegetal ou animal, pode causar sérios prejuizos ao meio. Então, uma parte do problema está mais por esse caminho.
    Creio que somos seres onivoros, ou seja, podemos nos alimentar de tudo ( ou quase tudo), fato esse que com certeza contribui para nossa evolução, ao contrário de várias espécies “especialistas”.
    Como já fui vegetariano, realmente comprovei os beneficios de uma alimentação mais saudável, com uso de cereais integrais, quase sempre comprados em feiras de produtores organicos.
    Então, ao meu ver, o grande X da questão levantada está em BASEAR a dieta alimentar em produtos de origem animal ( retorno assim ao inicio…toda monocultura é prejudicial…todo pensamento unico é burro, etc…). Pluralidade, respeito, consciencia…isso é o que tem que haver mais.
    Espero ter contribuido.

    • girsaum
      janeiro 19, 2010 às 22:21

      Contribuiu sim, muito obrigado!

      Não há nada a se adicionar, falou com propriedade e consciência!

      Abraços

  13. Alex
    fevereiro 5, 2010 às 22:00

    Devemos? Os animais tem direito a vida? Nós temos “direito” a vida?
    Direito esse dado por quem?

    Essas suposicoes e afirmaçoes sao repetidas constantemente e eu acho que na maioria das vezes sem a devida reflexão. Por que sempre repetimos que temos “direito” a alguma coisa? Quem dá o direito a vida? Desde quando a natureza sobrevive por direito?

    Acho que é irrelevante pensar de onde viemos, ora, viemos das estrelas, viemos das bactérias, viemos das arvores, se é que os interessados aceitam esses fatos e nao creem em alguma força invisivel sobrenatural. Somos um galho de uma única forma de vida, o DNA, um codigo de informacoes que se utiliza de diferentes cascas, animal, vegetal, pra continuar sobrevivendo. Tem algum propósito, algum direito? Algum objetivo? A seleção natural diz claramente que não. Simplesmente se deu assim, mais provavelmente por que nao poderia ser de outra maneira. Se nao fosse apto para continuar nao estaria mais aqui e pronto. Entao de onde vem o direito a vida? Temos algum direito a afirmar que outro ser possui o “direito” a vida?

    Naturalmente nos sentimos proximos aos mamifermos, seres geneticamente proximos de nós. Nosso cerebro evoluiu para identificar essas caracteristicas, é um produto da selecao natural. Ser compreensivo e ter compaixao pelo proximo da mesma especie também é um produto da seleção natural, sobrevivemos melhor assim, sendo mais racionais e menos agressivos com o proximo. Mas desconheço e desafio alguem a identificar a fonte dos direitos, sejam eles humanos ou nao humanos. Não temos nenhum. Criamos todos culturalmente para viver melhor uns com os outros. Se pensamos fazer bem aos animais dando-lhes direito a vida, devemos pensar racionalmente sobre o impacto que isto trará no equilibro da natureza, na nossa sobrevivencia, nao por que possuam algum direito implicito. É inviavel proteger todas as nossas origens por que todos nós viemos do mesmo lugar.

    Nossos cerebros sao privilegiados dentre todos no planeta no momento. Mas nossa capacidade é limitada a nossa compreensão. Se podemos ir além da natureza que nos precede, devemos refletir sobre o quao além realmente podemos ir, e qual o melhor caminho para chegarmos lá. Temos que ter o cuidado de nao sobre carregar as nossas capacidades, e nao nos dotar de características sobre humanas que nao nos convém, que no final mais atrapalham do que ajudam a nossa convivencia. Nao devemos regredir a irracionalidade instintiva, por que já nao somos mais. Devemos crescer e arcar com nossas capacidades, com grande responsabilidade. No entanto é apenas um passo além, que proximo da grandeza da vida nao pode nunca ser considerado o ultimo. Estamos longe de seres evoluidos, nao possuimos conexoes divinas nem temos super poderes. Somos todos humanos e se tivessemos consciencia plena desse simples fato, muitos problemas hoje seriam resolvidos.

  14. Wesley
    fevereiro 5, 2010 às 23:35

    Nem vou responder lá no video por que não adianta …mas o dia que eu for vegetariano vou jogar minha Bíblia no lixo ..por que o que mais tem de exemplos de consumo de carne ..e Deus mesmo fala da distinção de animais dométicos e de abate …então ..até Deus esta errado pra eles !!! parei …na verdade …tudo que é em quantidade grande faz mau e não isso ou aquilo …!!! neguin quer ir pra churrasco e só por que é de graça ou deu dinheiro pra ajudar quer comer até passar mau ..ai não dá mesmo ..pessoas do sul tem costume de comer carne sempre e não ter uma piramide alimentar equilibrada ..ai vai ter cancer mesmo ..a vida é um equilibrio,errado esta quem administra…e levando em conta os corruptos no Brasil …ninguém quer ir cobrar a eles !!!

  15. março 1, 2010 às 19:02

    Caro ” ser humano “…
    Eu enquanto geográfa deveria vir aqui para comentar a sua postagem,mais antes disso como ser humana,como filha de Deus só consigo questionar a sua falta de amor a vida,a sua falta de sentimento…
    Não concordo,mais aceito a sua opinião,só não aceito a sua falta de amor a vida,quando o documentário retrata os animais,eles retratam bem mais que a função deste e sim o sentimento e a necessidade que temos de fazer estes pobres seres indefesos sofrerem para sustentar o nosso prazer,essa cultura idiota que passamos a frente.
    Em relação a destruição da natureza,sobretudo o desmatamento da floresta amazônica para a pecuária,você esta muito enganado(a),procure se informar melhor,as consequências deste ato ja são notáveis e inrreparavéis…
    Verificando a sua falta de educação com os comentários acima,não desejo que responda ao meu,simplesmente queria que você no intimo do seu coração se indagasse,para você o que é a vida?
    Qual é o preço da vida?
    E vc ama a sua vida?
    Palavras sinceras de uma pessoa apaixonada e agradecida a Deus pelo dom da vida..
    Por isso respeirto a vida,seja ela animal ou vegertal…
    Espero que sejas educado…
    Bjinhos…

    • girsaum
      março 2, 2010 às 22:34

      Olá,

      Não me lembro se faltei com educação com alguém aqui nas respostas, mas se isso ocorreu, sem dúvida foi para me adequar ao mesmo baixíssimo nível que me trataram. Aliás, vc não faz ideia do deplorável conteúdo das mensagens que eu recebo por aqui. São ditos “amantes da vida” que na verdade são “amantes dos bichinhos fofuxos” e não tem o mínimo respeito com seres humanos.

      Não pense que deixei passar em branco seu irônico “ser humano”… Eu nem ia comentar, porque é até meio infantil, uma ligeira provocação. Mas vou comentar apenas para deixar claro que essa ironia é inválida, pelo simples fato de sermos mesmo seres humanos, assim como vc também o é, e não temos como fugir disso. Somos diferentes assim como os outros animais são diferentes entre si.

      Quanto ao “valor a vida” eu já respondi em outros comentários aqui… Dê uma olhada.

      Abraços

      • Alex
        março 3, 2010 às 11:40

        O problema é que ela nao se considera um ser humano, e sim uma filha de deus, e nao considera os animais como parte da natureza, mas parte da criaçao de deus.

        Com pouco conhecimento as pessoas jamais aceitarão a vida como ela é.

        Bem intencionados mas ocluídos pela fé

      • girsaum
        março 4, 2010 às 12:56

        Bom, sendo assim tão religiosa ela tem menos motivos ainda para ser vegetariana, visto que há passagens na Bíblia em que Deus diz que os animais foram feitos para servir o homem… E ela se considerando ou não um ser humano, ela não deixa de ser…

      • março 4, 2010 às 22:10

        Não precisa ser religiosa pra entender a biblia,o que você se esquece é que so Deus pode tirar a vida.
        Quando Deus disse que os animais foram feitos para servir ele não imaginava que os seres humanos ou seja o homem se tornaria tão cruel ao ponto de matar e maltratar os animais por ganância e por um prazer idota de satisfazer os seus ” desejos humanos “…
        Realmente,concordo que Deus deixou os vestigios do consumo de animais,porém em nenhuma passagem biblica encontro Deus passando ao homem o direito de fazer os animais sofrerem e serem explorados,tenho certeza de que pelo contrário o homem com o seu coração ruim,machuca a Deus e não percebe.

    • março 4, 2010 às 20:30

      O comentário de Alex é direcionado a mim ou a girsaum?

      • girsaum
        março 8, 2010 às 19:35

        Eu só fiz um comentário

  16. março 4, 2010 às 22:13

    Se alguém ainda duvida que o homem mata por esporte e de que os animais possuem sentimento,por favor assistam Terráqueos,duvido que sua opinião não mude.
    Doá a quem doe,não vou deixar os seres humanos tomarem as decisões que não lhes pertence…
    Se você tiver coragem,assista:
    /www.vista-se.com.br/terraqueos/

  17. Marcelo Ramos
    março 6, 2010 às 11:27

    Prezado Girsaum….
    Bem inicio meu post me colocando como leigo no assunto, mas primeiro gostaria de perguntar…vc é biólogo formado, ok….e vc criou este blog por convicção de refutar o vídeo por conter inverdades no seu modo de ver, ou trabalha para alguma empresa deste ramo de animais? Sem ofensa ok….se for a segunda opção nenhum problema tb, porém fica mais fácil saber se a parte que contesta o vídeo é interessada e envolvida no mesmo. Segundo eu ainda como carne, cada dia um pouco menos, respeito tanto os vegetarianos, como os que não são..não gosto de evangelizar ninguém. Neste mundo só mudamos a nós mesmos e olhe lá. Vi seus argumentos, alguns muito válidos, mas outros no minímo nada práticos ou muito questionáveis, vamos lá: Primeiro – Exigir que a classe política façam leis e atuem para cumpri-las” Bem na prática a classe política no Brasil e no resto do Mundo (EUA como exemplo) trabalham para Grupos financeiros fortes e mais organizados e são eleitos por eles (na prática o povo apenas homologa pois eles são os donos do partido, da mídia, etc ), ou seja, no Brasil a Indústria seja ela uma montadora de automóveis ou da carne tem os políticos facilmente nas mãos e controla eles como desejam…., ou seja, o que falou na teoria “E repito pela milésima vez: deve-se garantir, por leis e fiscalização, o tratamento adequado dos animais” – fazer respeitar a Lei-está certo), mas na prática todos já saímos do Jd da Infância e sabemos quem manda e salvo raríssimos empreendedores com visão de futuro, NADA vai mudar afinal eu ganho $$$ assim o resto que se exploda, não é mesmo? O que industrias como Sadia,Perdigão, Aurora entre muitas outras fazem ou tem feito ou exigido para que essa produção não saia do controle como está visível que já aconteceu? Honestamente salvo uma ou outra açao pontual acho que quase nada. Talvez deste fato parte do Vídeo se torne tão radical como (Não coma Carne) ou (Não desmate)….etc. Bem a segunda pergunta aí é como leigo mesmo, ok…sou Cirurgião-Dentista…ok…mas existe alguma forma de Abate ser como posso dizer mais “humano”….a não ser a eutánania, que parece não se aplicar ao caso, não conheço essa outra técnica que colocou em seu post….No mais é isso, parabéns pelo post….apesar de discordar de você em muitos aspectos e achar que tanto o vídeo quanto seus argumentos necessitariam de muito mais leitura e aprofundamento o espaço tem mantido uma boa discussão em um bom nível!

    • girsaum
      março 8, 2010 às 20:08

      Olá Marcelo,

      Não, fiz um blog com a intenção de dissertar sobre uma ampla variedade de assuntos. O que está aqui postado, inclusive, eu escrevi a uns três anos atrás numa comunidade no orkut. Não era minha intenção fazer um texto que fosse referência bibliográfica ou algo que valha, mas apenas um grito de inconformismo sobre a quantidade de mentiras que circula na internet, é inacreditável. O nível dos meus argumentos é apenas o suficiente para responder os pontos aos quais atentei, não buscando filosofar a respeito do comer ou não comer carne.

      Quanto aos seus apontamentos: obviamente temos muitos problemas no que diz respeito ao cumprimento da lei, e é lógico que só uma lei não muda o comportamento das pessoas. Mas há trabalhos que possam ser feitos para melhorar o quadro sem o radicalismo de “parar de comer carne”, até porque esses argumentos são inválidos. Eu me utilizo de reductio ad absurdum, mas é um raciocínio simples, se parar de comer carne é a solução, deveríamos todos parar de comer arroz, cujas plantações são responsáveis por boa parte do metano emitido na atmosfera, contribuindo significativamente para o efeito estufa (http://www.scielo.br/pdf/cr/v32n6/12758.pdf).

      Como ia dizendo, concordo na dificuldade de se manter o que é certo, ou mesmo realizar o que é certo, mas o vídeo é por demais tendencioso, como eu já disse, e excessivamente parcial, mostrando apenas um lado da moeda. Veja vc que a queimada da cana é proibida por lei, mas ela continua sendo diariamente praticada em todo interior do estado de São Paulo, sendo eu testemunha ocular. Nem preciso falar dos riscos que isso causa ao meio ambiente. Assim como também é necessário avaliar os praguicidas e fungicidas, bem como os adubos. Adubos químicos que contaminam o lençol freático são também utilizados, bem como os não aprovados pelo ministério da agricultura que são importados da china pelo paraguai, sendo estes prejudiciais a saúde. O vídeo é tão pífio que fala dos agrotóxicos nos bois, como se eles fossem usados no gado, e não nos vegetais, coisa que, coincidentemente, nenhum vegetariano comentou. O que eu quero dizer com esses exemplos é que a abolição total não é a resposta para isso, e que há problemas de igual magnitude tanto no consumo de alimentos do reino animal quanto vegetal.

      Bom, é isso… se deixei de responder algo me avise. Muito obrigado pelo seu comentário, é um exemplo de educação e cordialidade que muitas pessoas que aqui comentam deveriam tomar.

      Abraços

  18. Alex
    março 6, 2010 às 13:24

    Nao precisa ser religioso pra entender a biblia (diria que, pelo contrario, teria de ser anti-religioso para entende-la), precisa sim para aceita-la como guia de moral e de vida. Todos os animais tiram a vida de outros seres vivos, quer voce queira ou nao, e tem sido assim por bilhoes de anos.

    E se voce acredita que o deus da biblia nao quis o sofrimento de nenhum animal, se esquece que o homem é um animal como outro qualquer. E sofreu um bocado nas maos do senhor “todo poderoso”. Acho que deveria le-la mais atentamente da proxima vez. Arrancar bebes da barriga de gravidas e esmagar suas cabeças nas pedras me parece pior do que criar animais para come-los.

    Pense duas vezes antes de citar a biblia como guia de moral para qualquer pessoa.

  19. Alex
    março 6, 2010 às 13:27

    E como poderia um ser onisciente nao imaginar o que aconteceria no futuro?

  20. Euclides Correia
    março 6, 2010 às 18:00

    Bem, sinceramente, não tive paciência de ler todos os seus péssimos argumentos contrários ao documentário.
    Acredito, entre outras coisas, que uma das circunstâncias que da devastação de importântes florestas têm fins de criação de pastagens. Esta situação, em si, já implica inúmeros danos ambientais irreverssíveis e por demais danosas… contribuíndo para o aquecimento global, etc.
    Outro grande detalhe é que as terras que produziriam uma quantidade muito maior, com menores custos ambientais, de outros tipos de alimentos (não-animais) contribuiriam para reduzir a fome, por meio de barateamento dos produtos agrícolas (como é o caso de grãos em geral). Sem contar que a propriedade que visa à criação de gado de corte é, em geral, baseada no latifúndio… daí já paira também na questão latifundiária do Brasil.

    Enfim… é preciso repensarmos que mundo queremos ter o direito de ter, bem como REIVINDICO O DIREITO DE MEUS FILHOS, NETOS, BISNETOS…

    Euclides Correia de Lucena
    ecl_jp@hotmail.com
    (estudante de Psicologia e Geografia)

    • girsaum
      março 8, 2010 às 19:51

      Os argumentos são suficientes para responder aos deploráveis argumentos dos vídeos. Afinal, se vc acha que os argumentos dos vídeos são bons o suficiente para parar de comer carne, vc não pode exigir muita coisa. Mas caso tenha a paciência de ler e poder contribuir com alguma coisa realmente válida, fique à vontade.

      Abraços

  21. Fraciely
    março 24, 2010 às 14:43

    Pessoal o que está em jogo não é se o gado come bem ou não, mas sim a forma de como os animais são tratados, no video eles nao pedem para nós deixarmos de comer carne mas sim diminuir o consumo termos consciência da onde vem a carne, e quanto ao sofrimento dos animais não é mentira está claramente lá a angustia e o medo. Pessoal não coloquem o nome de Deus no meio disso porque ele não tem nada a ver com isso, acredito que vocês estão fugindo do assunto, vale lembrar que o que mais vale é a crueldade dos seres humanos com a natureza e com os animais.

  22. maio 3, 2010 às 15:34

    Parabéns pela crítica.
    Considero o vídeo de uma extrema hipocrisia e ignorância, onde pessoas sem conhecimento algum tentam dissimuladamente atacar aquilo que consideram errado, e endeusam sua filosofia de vida como sendo a verdade absoluta.
    Parabéns pela coragem em abordar esse polêmico assunto e pela paciência em responder a todos os comentários.

    • girsaum
      maio 3, 2010 às 18:27

      Muito obrigado pelo recado Aline.

      E dizem que a globo só não mostra porque tem contrato com produtores de carne… A globo só não mostra porque não tem compromisso científico e muito menos argumentação válida, entre outras tantas coisas já comentadas

      Abraços!

  23. Marcia
    junho 18, 2010 às 22:03

    Ola.

    Achei mto boa a sua critica do filme, qndo eu assisti pensei varias coisas parecidas mas nunca pesquisei o suficiente como vc pra colocar em palavras de maneira tao clara como vc fez.

    Acredito que realmente existam problemas socio ambientais em relacao ao consumo da carne. Assim como existem para termos agua encanada, eletricidade, petroleo…
    Na minha visao, o que se deve fazer eh diminuir os impactos negativos a natureza, e ate mesmo tratar os animais de abate com mais preocupacao com seu bem estar enqnto ainda estao com vida, ja que a maneira como tratam certos animais (como os frangos) eh totalmente desnecessaria.

  24. Vinicius
    julho 21, 2010 às 18:46

    Sinceramente… Eu parei de comer carne depois que eu assisti esse documentario !!! Horrivel em pensar que vc esta comendo algo que ja foi vivo um dia, que “aquele animal teve uma familia”… Que existe todo um processo que teve que acontecer só para saciar os desejos de comer uma “carne”… ECA

  25. lucas
    agosto 7, 2010 às 21:30

    discordo plenamente o que foi postado sobre o filme “a carne é fraca”
    o filme conta uma pura realidade na qual estamos vivendo, e quem come ñ sabe o mal que
    está causando rm sua saude, isso é sem falar do sofrimento animal!

    • girsaum
      agosto 10, 2010 às 19:32

      Bela argumentação! Parabéns

  26. Nedi.Franca-SP
    setembro 14, 2010 às 15:58

    Ola, girsaum.
    Admirei a forma como você expôs seus argumentos e por ter promovido toda essa dialética, quem sabe, como os gregos acreditavam, eclodira a verdade. Sempre é bom analisarmos o lado inverso da moeda, para não nos tornarmos réplicas de um só pensamento semelhante à era das trevas que tanto o iluminismo atacou. Já faz 11 anos que me abstenho de alimento cárneo, de industrializados e de bebidas alcoólicas. Dou preferência para os naturais como: Açúcar mascavo, mel, arroz integral, fibra de trigo, granola, frutas e verduras variadas, leite de soja, água mineral sem gás, sucos de frutas in natura e etc. E alem disso, pratico esporte para não ser pego pelo sedentarismo que mata muito mais que comer ou não carne. Ser vegetariano, não dá garantia de que esta comendo saudavelmente… Tiago citou uma frase que vale a pena ser revisada: “o que parece ser mais natural, um de bife de alcatra vermelho e tenro ou um bife de restolho de processamento de soja com corante para não ficar amarelo pálido ( vulgar paçoquinha de refugo de soja)?”. De que adianta deixar de comer carne e se deliciar com manjares piores do que ela? Será que os industrializados provocam menos males do que uma carne? E, também, enquanto existir enzimas e tubo digestório jamais a carne vai apodrecer dentro de nós se comê-la, senão o mesmo se dará com os vegetais, que também se corrompem. A não ser que a pessoa tenha uma violenta prisão de vente.
    Eu não acredito como você, que o vegetarianismo ira resolverá todo problema climático e as desigualdades sociais. O problema maior esta no desequilíbrio populacional e de leis a serem cumpridas para trazer uma harmonia e equilíbrio ambientais e sociais.
    Aproveitando o espaço, queria que vocês analisassem Três pontos:
    • Se toda humanidade fizesse uma dieta exclusiva de alimentos cárneos, não teríamos sérios problemas de saúde, principalmente de escorbuto por falta da vitamina C e prisão de ventre crônica por falta de fibra vegetal insolúvel? E, se fosse ao contrário, todos comendo alimentos naturais, lógico sem agrotóxicos, não teríamos maiores chances de gozar de mais saúde e vida? Alguém poderia indagar, e as proteínas? Não é comprovado que em meio quilo de soja equivale a dois quilos de bife, em seu teor de proteínas?
    • Se os seres humanos fossem animais carnívoros por natureza, não teriam que ter as características essências de um animal desse grupo? Por exemplo: Unhas fendidas e bocas alongadas para rasgar o cadáver e abocanhar com seus dentes caninos a carne in natura e o sangue ainda quente? Os humanos para comer carne não precisam antes levá-la ao fogo e modificar as suas moléculas para consumi-la; ou ele consegue comê-la como um animal carnívoro o faz? Por acaso, os carnívoros possuem intestino grosso como o nosso? Refletindo nesse ponto, será que não comemos a carne mais por tradição do que por natureza?
    • Será que se um homem não comesse carne ele ficará fraco? Os gladiadores eram varões robustos ou franzinos? Resp´: Segundo uma pesquisa descobriu que nos ossos dos gladiadores havia quantidades altas de estrôncio. Por quê? Pelo fato de serem vegetarianos, a alimentação básica deles era cevada e feijões, a forma como os apelidaram apontava-se a comedores de cevada. E o que dá força são alimentos ricos em carboidratos, não é o caso da carne.
    Obrigado pela oportunidade e por esse momento tão útil que é o debate que é o ponta pé inicial da Filosofia.

    • girsaum
      setembro 29, 2010 às 23:10

      Olá!

      Respondendo rapidamente:

      1- Por favor, gostaria de ler um artigo que comprave isso das proteínas da soja. Inicialmente, só queria lembrar do quesito absorção de proteínas. Nosso organismo não é capaz de absorver todas proteínas dos vegetais, em especial dos grãos, como mostrei sobre o feijão em alguma resposta por aqui.

      2- Não somos carnívoros, somos onívoros, também já comentei sobre isso em outras respostas. Comemos carne por natureza, temos, como já disse, 3 genes destinados exclusivamente a lidar com o excesso de consumo de carne no organismo. Toda época pré-civilização do Homo sapiens é caçadora. Instrumentos de caça são os mais encontrados em qualquer escavação arqueológica dessa era. O desenvolvimento do cérebro ao invés da força nos permitiu dispensar certas características anatômicas, mas ainda sim preservamos algumas, como os caninos, olhos voltados para frente da face, intestino não tão pequenos como de carnívoros mas não tão extensos quanto de carnívoros etc.

      3- Por favor, gostaria também da referência sobre o modo de vida dos gladiadores falando sobre sua alimentação para comentar.

      Obrigado pela educação, coisa rara aqui! Esse é o princípio, gerar a discussão. Sei que é complicado, mas se tiver tempo, dê uma olhada nas respostas dos outros leitores. Podemos ter muito o que conversar.

      Grande abraço!

  27. ace
    setembro 24, 2010 às 18:37

    O autor desta postagem é uma pessoa que só olha para o próprio umbigo.
    Você é uma pessoa egoísta …
    Pessoas como você (que postou) jamais admitem quando erram.
    Continua olhando para o próprio umbigo que lá na frente você tropeça, pode ser que você consiga levantar ou não.
    Você pensa ou quer pensar assim, que vegetarianos ficam pregando uma espécie de “doutrina” e querem impor um metodo de vida. Vegetarianos só querem mostrar o que faz bem e é certo. Vegetariano não pensa ou agem como os politicos caloteiros.
    Eu já assisti esses documentário e o outro, e ambos tem fundamento.

    —————————–É UMA VERDADE QUE INCOMODA.——————————–

    • girsaum
      setembro 26, 2010 às 19:43

      Olá,

      Não entendi porque você chama a mim de egoísta. Realmente muito estranho. A única coisa que fiz foi expor a quantidade de mentiras que há nesse documentário. Como eu já disse várias vezes aqui, não estou pregando contra o vegetarianismo, mas sim desmantelar os espúrios argumentos tratados no vídeo. Nada tem de egoísta nisso.

      O egoísmo se encontra, aí sim, no ato de esconder informações ou manipulá-las, a fim de vender algo pela aparência e não pela sua realidade, que é o que o vídeo apresenta do início ao fim.

      NINGUÉM soube me justificar as diversas mentiras que Nina Rosa diz. Muitas delas ridículas. Não adianta dizer que tem fundamento sem tocar no assunto.

      PS: O outro comentário seu eu deletei pelo fato de ser igual a esse, só não havia autorizado antes porque não tinha visto.

      Abraços e volte com mais argumentos.

  28. ace
    setembro 29, 2010 às 19:39

    Abaixo, o pronome de tratamento VOCÊ é usado para referir-se ou postador da criticas ao vídeo (girsaum).
    ——————————
    Sobre a sua primeira parte:

    Você falou:
    “Agora desde de quando os problemas ambientais citados são argumentos para não comermos carne???” Porque não, imagina o quanto é gasto nesse mercado de carne contado o mercado ilegal, propaganda de hambúrguer, produtos, roupas (couro).
    Te digo que se todo mundo comer alimentos só de origem natural o impacto será muitíssimo menor do que continuar a expandir o consumo de carne. No documentário é citado os problemas gerados para se manter bois e bovinos que servirão de alimento.

    Você falou:
    “Daí se baseiam nesse vídeo que prega que devemos matá-los…”
    Matar o que, quem? o documentário diz que é para matar alguém? acho que não.

    ——————————-
    Sobre a sua segunda parte:

    Você faz comparações sem lógica, compara que os mesmos problemas relacionados ao plantio de alimentos é o mesmo da criação de gado. Por acaso uma batata ou tomate que é plantado precisa de medicamento e/ou hormônio que um boi precisa (citado no vídeo) e a batata e o tomate que é plantado não defecam no solo. Sem contar o gasto de água que é mencionado no documentário para manter e criar gado somando a contaminação por parte dos dejetos deles. Se o esgoto humano já é um problema some ao que é gerado com o da pecuária que só cresce. E ainda o que tem que ser produzido e gasto para alimentar os animais (animais estes não são mais do que escravos ou pior para os produtores).

    • girsaum
      setembro 29, 2010 às 20:05

      “Te digo que se todo mundo comer alimentos só de origem natural o impacto será muitíssimo menor do que continuar a expandir o consumo de carne. No documentário é citado os problemas gerados para se manter bois e bovinos que servirão de alimento.”

      Você está afirmando sem justificativas. O impacto será menor? muitíssimo menor? Já discorri sobre isso no texto. Os problemas citados são distorcidos e exagerados, e muitos deles podem ser resolvidos de outra maneira que não a sugerida.

      “Matar o que, quem? o documentário diz que é para matar alguém? acho que não.”

      Fiz uma ironia sobre a incoerência dos “argumentos” que são expostos. Você tirou a frase do contexto.

      ———————————–

      Eu não falo que os problemas da criação de gado são os mesmo que da agricultura. Eu só dou exemplos dos problemas com a agricultura. Sou contra qualquer desmatamento para qualquer criação ou plantação. Não esqueça do esterco, muito bem utilizado como adubo.

  29. ace
    setembro 29, 2010 às 19:40

    Você em sua critica cita diversas vezes os agrotóxicos por parte dos vegetais querendo usar isso como justificativa para comparar com todos os problemas que o consumo de carne gera. Só vou citar os agrotóxicos uma única vez. Os agrotóxicos causam diversos problemas ao ambiente e também a saúde (pelo uso indiscriminado). Mas fique sabendo que existem alternativas eficazes (denominada agricultura biológica ou Agricultura orgânica sem uso de agrotóxicos).links:

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Agricultura_org%C3%A2nica
    http://www.agrisustentavel.com/san/sosorganico.htm
    http://www.ecodebate.com.br/2008/10/13/alternativas-biologicas-aos-agrotoxicos/
    http://www.revistacafeicultura.com.br/index.php?tipo=ler&mat=31160&agricultores-criam-alternativas-aos-agrotoxicos.html
    http://blog.e-campo.com.br/2009/04/17/alternativas-ao-agrotoxico/
    http://www.parana-online.com.br/editoria/policia/news/361852/

    Posso resumir que os dois maiores problemas da agricultura é:
    O desmatamento ilegal e o uso de agrotóxicos indiscriminadamente. Lembrando que o desmatamento é muito maior para a pecuária e os agrotóxicos também são usado na pecuária.

    • girsaum
      setembro 29, 2010 às 20:07

      Não disse que não há alternativas para o uso de agrotóxicos. E disse que há alternativas para a criação de gado. Só mostro como o documentário é tendencioso e mostra só um lado.

  30. ace
    setembro 29, 2010 às 19:41

    O desmatamento:
    veja o gráfico: http://pt.mongabay.com/brazil-pt.html
    ——————————-
    Sobre a sua terceira parte:

    Deve-se mudar a alimentação pois ai esteremos dando não só o tratamento como também o respeito aos animais em geral e não só as aves. ISSO É FAZER O CERTO. O fácil é ficar em casa se enganado comendo o”hambúrguer sujo” que você come.

    Um dos comentários mais estúpidos que você fez:
    “dizendo-nos para não comermos carne; fica-se famoso ainda por cima:”Olha lá mamãe, eu pelado na tv”.. “Ai filhinho! vc é o orgulho da família!””

    Você acha que é fácil fazer aquilo que os “Europeus” como você cita e outros muitos mais fazem, enfrentar pescadores, policia, políticos, empresas? mas não é mesmo.
    http://www.greenpeace.org/brasil/pt/Multimidia/Fotos/Ativistas-condenados/

    • girsaum
      setembro 29, 2010 às 20:45

      Por que o nervosismo agora?

      Fazer o certo? É essa a questão do vídeo. Faça o certo, nós dizemos o que é certo, não importa o quanto mentimos descaradamente. Isso não é argumento.
      comentário estúpido? Estúpido é se embalar pelado fingindo que é um pedaço de carne. Fiz um comentário proporcional ao fato que os “ativistas” fazem.

      Falei desse fato, desses hipócritas, não dos que lutam contra o que realmente é necessário, como o desmatamento, tráfico de animais etc. Você está fugindo do assunto novamente.

  31. ace
    setembro 29, 2010 às 19:41

    ——————————-
    Sobre a sua quarta parte:

    O animal tratado bem ou mal seria morto de qualquer forma, só estaria sendo enganado. Se eu vou ter câncer ou não mesmo sem comer carne, eu não sei, eu não deixei de comer carne somente para diminuir ou não ter câncer. Quem pensa com essas ideias de visar somente o bem próprio são pessoas egoístas. O que me importa é o fato de matar para comer, isso eu não admito, visto que a pessoa pode viver sem comer carne. Ser Vegetariano não é parar de comer carne só pelo bem próprio é também pensar no próximo, respeitar aos animais. Animais não devem ser escravos
    de ninguém.

    Seu quarto e quinto paragrafo é pura ignorância em suas comparações e conclusões sem lógicas.

    Você disse:
    ““O vegetal é bonito, tem de várias cores!”
    Que merda de argumento é esse? Comprei uma revista toda colorida hoje, bonita, e seu papel é proveniente de árvores, então devo comê-la?””
    Ai te respondo: Não ignorante, você não deve comer a revista.

    Será que você nunca ouviu “quanto mais o prato for colorido melhor” que quer dizer variedade nos alimentos é mais saudável (verde: alface, couve; amarelo: a laranja, abacaxi; vermelho: tomate, cenoura; roxo: beterraba e por ai vai). Isso no vídeo e explicado.

    • girsaum
      setembro 29, 2010 às 20:49

      Ih, outra crise de nervosismo?

      Acho que a ignorância reside no fato de você não perceber que essa indagação é propositadamente ridícula para mostrar o quão ridículo é o “argumento” mostrado no vídeo.

  32. ace
    setembro 29, 2010 às 19:42

    ——————————-
    Sobre a sua quinta parte:

    Sobre seu primeiro e segundo paragrafo digo: se eu sou um ser pensante que sei que posso viver muito bem e melhor sem consumo de carne, com que proposito vou matar outro ser para comer a carne deste ser que matei?

    No seu terceiro paragrafo você cita sobre digestão de carne e fala que o médico em questão está todo errado. Te digo, parei de comer qualquer tipo de carne a mais de um ano (já não comia muita carne antes), de lá pra cá, nunca mais tive problema de ficar doente do estomago ou ruim de alguma parte do sistema digestivo e até do corpo em geral.
    E ao contrario do que você falou ai sobre digestão, o que eu mais escuto de comentários por aí, no trabalho por exemplo, é pessoas reclamando que foi em restaurante e passou mal, ou churrasco e a comida não desceu bem e a pessoa precisou de tomar aqueles remédios tipo sal de fruta. Eu tenho ainda a lembrança amarga de quando comia carne e quantas vezes me sentia cheio, sei lá, empanturrado ou me sentia mal.
    Falando nisso lembro das pessoas falando que precisam emagrecer e tomam remédio para isso e não adianta. São pessoas que não olham para os próprios hábitos e só comem pensando pensando com a boca.

    • girsaum
      setembro 29, 2010 às 20:56

      Tudo isso que vc disse não livra a cara do médico. Aquele exemplo ridículo que ele deu do coelho, não tem como defender. Isso já ficou claro, com todos comentários daqui. da carne apodrecer no estômago então nem se fala. Como eu já disse, se alimentar de carne não é comer mal. Pode-se comer mal sem comer carne também. A boa alimentação é fundamental para a manutenção do bom funcionamento do organismo como um todo.

  33. ace
    setembro 29, 2010 às 19:42

    ——————————-
    Sobre a sua sexta parte:

    Você falou:
    “Por que esses vegetarianos querem que todos sejam iguais a eles através de propagandas tendenciosas??”
    No documentário é feita alguma espécie de propaganda ou venda? Por acaso o vídeo deste documentário foi comprado por alguém? alguém pagou para poder assistir? ou então a ideia é: Pague que eu te mostro o que a carne faz de mal?
    Em nenhum momento essas ideias são passadas no vídeo.

    concluindo seus comentários, você falou:
    “E lembremos que Nietzsche dizia: “As convicções são, talvez, as inimigas mais pergigosas das verdades do que as mentiras”. Quando estamos convictos, fechamos os olhos e não queremos saber de argumentos contrários, fazemos nossa própria verdade. Cada um vive no mundinho que merece.”

    Isso ai que você disse é para você mesmo. Você é que está se enganando e/ou querendo enganar quem lê as criticas que você escreveu.

    • girsaum
      setembro 29, 2010 às 21:02

      “No documentário é feita alguma espécie de propaganda ou venda? Por acaso o vídeo deste documentário foi comprado por alguém?”

      Lógico que é uma uma propaganda! Claro que ganham! Vendem uma ideologia baseada em mentiras para que as pessoas doem dinheiro para a “causa”! O PETA lucra muito com isso! Nina Rosa conseguiu dinheiro a ponto de fazer um documentário recheado de argumentos espúrios com dinheiro doado!

      Eu não estou enganando ninguém, não tento manipular ninguém, muito menos com mentiras. Como já disse milhões de vezes, o que me incomoda é a sujeira que transborda desse vídeo falacioso. Mostro argumentos contrários. Só isso.

  34. ace
    setembro 29, 2010 às 19:43

    Agora os pontos que eu falo:

    E sobre a imagem que é usada para enganar e/ou iludir os consumidores de carne, como por exemplo, essas usada em lanchonetes, embalagens de frango, biscoitos, caixas de leite, etc, mostrando uma imagem de um animal feliz, como uma galinha dançando ou um boi ou vaca sorrindo, imagem totalmente diferente da realidade cruel que estes animais passam. Você acha que quando penduram o boi, cortam sua garganta e ele esta gritando e agonizando ele vai rir?

    Tem o lance que falam que o alimento natural é caro. Agora pense um pouco, quanto você gasta em alimentos de carne contando o churrasco, o biscoito com sabor bacon, a pizza, a lasanha, o salgado de esquina, o Peru de natal, o presunto no pão, a feijoada e por ai vai, agora pegue isso que você gastou e veja se você não compra diversos alimentos naturais sem pagar a mais?!

    Você não pensa no sofrimento destes animais, no que eles passam. Lembrando também os animais maltratados ou té mortos usados para o puro lazer e aqueles que são mortos para se fazer roupa ou os que são mortos em laboratório.

    Você fala como se o documentário fosse um vídeo amador, falando de uma forma que todos que aparecem nele não sabem de nada ou só querem aparecer, o que não é verdade.
    E você, que na grande parte de suas criticas no debocha e só pensa unicamente em sua própria pessoa, você não direito nenhum de julgar quem aparece no documentário. Você é que usa “merda” de argumentos, como exemplo, aquele comentário de merda que você escreveu e eu te respondi mais acima.

    • girsaum
      setembro 29, 2010 às 21:11

      Só em relação a duas coisas:
      “Você fala como se o documentário fosse um vídeo amador, falando de uma forma que todos que aparecem nele não sabem de nada ou só querem aparecer, o que não é verdade.
      E você, que na grande parte de suas criticas no debocha e só pensa unicamente em sua própria pessoa, você não direito nenhum de julgar quem aparece no documentário. Você é que usa ‘merda’ de argumentos, como exemplo, aquele comentário de merda que você escreveu e eu te respondi mais acima.”

      O vídeo não é amador. É profissional para enganar incautos e desconhecedores de certos assuntos, como fisiologia humana. É ridículo.

      Eu uso merda para responder sobre bosta, meu amigo. Não sei se vc percebe ou não, mas na verdade, o cerne do seu fraco discurso é tirar de contexto o que eu disse e mudar o foco da discussão. Eu não estou atacando a existência do vegetarianismo, como eu já disse milhões de vezes aqui, mas sim o vegetarianismo baseado em inverdades ridículas inventadas por pessoas maliciosas. E, como eu também já disse milhões de vezes, um vegetariano realmente consciente deveria ser a primeira pessoa a rejeitar os argumentos espúrios e ter repúdio de algo tão perniciosamente inverídico.

      Eu uso merda para responder sobre bosta, meu amigo. Não sei se vc percebe ou não, mas na verdade, o cerne do seu fraco discurso é tirar de

  35. ace
    setembro 29, 2010 às 19:43

    Você disse isso a respeito de meu comentário anterior:
    “O egoísmo se encontra, aí sim, no ato de esconder informações ou manipulá-las, a fim de vender algo pela aparência e não pela sua realidade, que é o que o vídeo apresenta do início ao fim.”

    Fala isso para a mídia, as empresas e empresários, produtores e donos destes matadouros, que escondem essa realidade cruel, visando unicamente o lucro sobre as pessoas que compram o hambúrguer de cada dia.

    E muito chato ler estas coisas que você escreveu, essas suas criticas que grande parte são mesquinhas e egoístas principalmente e ainda ler que teve alguns que o apoiaram.
    Caralho, e saber que tem pessoas que usam a bíblia para defender estes atos nojentos de uma sociedade que só afunda cada vez mais em corrupção, adultério e violência. Vocês que pensam assim usam “Deus” (Se é que existe Deus) como uma válvula de escape para todas as merdas que fazem enquanto estão vivos, ai quando morrerem acham que “Deus” vai abraçar vocês e dizer “Te perdoo”.

    Você disse no inicio da sua critica que devemos cometer suicido, quem vai acabar se matando vai ser eu que não suporto mais viver cercado de ordinários.

    • girsaum
      setembro 29, 2010 às 21:26

      Mais uma vez tergiversando. A culpa é da mídia? Liberdade de imprensa está aí pra todo mundo. Tanta que é permitido que se espalhe por aí vídeos ridículos como “A Carne é Fraca”! A informação é disponível para todas. Quanto o resto, já está respondido ou no texto ou nas demais respostas.

      Sua impaciência e falta de educação no tratamento com o próximo não condiz com as suas pregações. Seus argumentos são fracos, e nos raros momentos que sua opinião foi expressa, eu deixei livre, sem comentar, pois consciência de matar ou não animais vai dos valores de cada um. Isso que deveria ser feito pelos vegetarianos, expôr a própria visão da ética, sem sensacionalismos e sentimentalismos, sua filosofia. Não mentiras que NINGUÉM, até agora, foi capaz de explicar. Que eu estou cansado de ficar papagaiamente repetindo. Cada vez que alguém me escreve uma resposta nesse post, eu fico querendo que alguém responda, mas NINGUÉM o faz. E se ninguém faz, é porque não tem explicação. Mas ninguém ADMITE! Pra que mentir? Essa é minha pergunta! Chega de tergiversar!

      Bom, dei seu espaço, permiti algum desrespeito em relação a mim, que acho que nem deveria fazer. O que me convenceu a permití-los foi exatamente essa sua conclusão de falar de deus. Eu sou ateu. Isso que vc disse nada tem a ver com o texto. E o que eu disse de cometer suicídio foi um sarcasmo. Chato mesmo é ter que ficar repetindo milhões de vezes a mesma coisa. Agora vc novamente tira de contexto para conseguir dar alguma validade para o que escreve, e mesmo assim não consegue, tentando ainda um “insulto final”… É realmente triste.

      Abraços

  36. ace
    setembro 29, 2010 às 19:44

    comentei em sequência pois não consegui enviar de uma vez.

  37. ace
    setembro 29, 2010 às 22:21

    Não perderei mais meu tempo rebatendo seus argumentos repetitivos e arrogantes de uma pessoa egoísta que é você.
    Quando rebati os seus argumentos, usei argumentos com bases concretas, não usei um absurdo ou merdas para rebater algo que é o que você faz em quase todas as vezes que fala.

    Só vou falar sobre estes três abaixo:

    1-“Não esqueça do esterco, muito bem utilizado como adubo.”

    Como vão utilizar de adubo um esterco que contem remédios, anabolizantes que é dado aos animais para usar no solo?
    ——
    2-“Acho que a ignorância reside no fato de você não perceber que essa indagação é propositadamente ridícula para mostrar o quão ridículo é o “argumento” mostrado no vídeo.”

    quer dizer que o ignorante sou eu por ter escrito isso que vou repetir ai abaixo?
    Será que você nunca ouviu “quanto mais o prato for colorido melhor” que quer dizer variedade nos alimentos é mais saudável (verde: alface, couve; amarelo: a laranja, abacaxi; vermelho: tomate, cenoura; roxo: beterraba e por ai vai)
    Você é que não entendeu ou não quis entender.
    ——
    3-“Nina Rosa conseguiu dinheiro a ponto de fazer um documentário recheado de argumentos espúrios com dinheiro doado!”

    Se foi mesmo, muito bom, ela usou o dinheiro com ótima finalidade, mostrou a verdade dos fatos por trás da carne.
    ——

    Muitas das coisas que escrevi neste meu comentário anterior você nem rebateu, como mostrando com argumentos sólidos que a pecuária causa mais problemas ou que os animas são mortos violentamente (é que não há como negar pois foi o documentário que mostrou com imagens reais) fora o sofrimento deles, isso você desconsidera né.
    Acho que alguma empresa ou alguém esta te pagando para você rebater este vídeo usando qualquer coisa como argumento.

    • girsaum
      setembro 29, 2010 às 22:51

      Editei para excluir os insultos. Só não deletei sua resposta pois não falei que não ia mais respondê-lo, mas agora digo isso. Se vier com insultos novamente, todo seu comentário será deletado.

      1- Já disse das alternativas sobre a pecuária, assim como há as alternativas para a agricultura.

      2- Falei que o ato é ignorante. E parece que vc ainda não entendeu o que eu quis dizer.

      3- Já expressei as mentiras aqui, vou falar das duas mais descabidas: CARNE APODRECE NO ESTÔMAGO, HERBÍVOROS NÃO TÊM CÂNCER.

      ——————————-

      Tudo isso que vc está dizendo que eu não respondi está na réplica aos demais comentários dos leitores. Leia se tiver interesse.

      Sim. Eu sou pago para responder vídeos caluniosos da internet. Vivo disso.

      Sem mais,

      Adeus.

  38. outubro 13, 2010 às 14:14

    Meu deus como esse cara coragem de querer confrontar o assunto flando um monte de BOBERA pq é isso q ele flo em tantas parte q nao vou perder meu tempo lendo cara se vc Estuda primeiro o assunto pra voce debater ele cara na boa

    • girsaum
      outubro 13, 2010 às 18:26

      Excelente argumentação hein campeão? Parabéns, realmente fiquei sem respostas!

      Vamos fazer o seguinte: aprenda PORTUGUÊS, que é a língua que eu e todas as outras pessoas que comentaram usamos. Experimente também aprender PONTUAÇÃO. Quando estiver em posse dessas habilidades, tente pensar em alguma coisa para escrever algo inteligível, certo? É isso que todo ser humano alfabetizado faz.

      Bom aprendizado.

      Até.

  39. Duda
    outubro 29, 2010 às 11:00

    Girsaum, você acredita em tudo que te dizem. Você também acredita que bois, vacas e qualquer outro animal foram “feitos por um Deus misericordioso” apenas para te alimentar? E porque eles não sabem falar nossa lingua merecem ir para nossas panelas? Você é só mais um hipócrita no mundo.
    Como peixe apenas, porque não consigo parar. Mas a falta de carne vermelha não faz mal a ninguem. Traz benefícios a saude.
    Se eu resolver caçar humanos agora, de um dia pro outro, você vai achar certo também? Afinal, humanos são animais como qualquer outros, mas somos racionais, porem não usamos nem metade do nosso cerebro, e abordar um assunto com uma critica fajuta como a sua, só prova que você é uma pessoa totalmente insensivel e desumana assim como tantas outras que acham que a dor de outras espécies não existe, e assim pode justificar porque comem carne.

    • girsaum
      outubro 30, 2010 às 22:05

      Duda,

      Olá!

      É realmente incrível o poder da psicanálise via blog que existe no mundo. Acho que metade dos comentários que recebo aqui é de pessoas me analisando psicologicamente. Agora dá uma olhada no quanto você é ruim nisso: eu sou ateu! Portanto, tudo que vc escreveu no primeiro parágrafo é inválido e, no mínimo, ingênuo.

      E não, eu não acharia correto nenhum assassinato, e diria que uma pessoa que não consegue diferenciar seres humanos de outros animais tem sérios desvios de personalidade. Alguns dos outros animais, que também são animais como quaisquer outros, caçam, matam e comem o que matam. O homem é apenas mais um animal, onívoro, e se alimenta de carne também.

      Agora vamos ao derradeiro. Sabe o que é fajuto? Esses seus argumentos, visto que você também colabora com morte de animais, e os argumentos desprezíveis do vídeo. É ridículo um vídeo se utilizar de tanta manipulação de informação e de tantas mentiras para fazer um documentário tendencioso desse. Veja bem, um documentário supostamente informaria as pessoas para elas refletirem sobre um determinado assunto. Esse vídeo DESINFORMA. Bom, já falei bastante a respeito no texto e como respostas a muitas outras pessoas. Você deve se achar tão desumano quanto por matar peixes… afinal, eles são animais como qualquer outro.
      Se for responder alguma coisa, comece com a tentativa de responder:

      Qual o intuito do vídeo em mentir, dizendo que herbívoros não tem câncer?

      Qual o intuito do vídeo em mentir, dizendo que a carne apodrece no estômago?

      Daí eu aceito seu comentário e podemos falar sobre outras pertinências.
      Abraços!

  40. julie
    novembro 22, 2010 às 18:04

    Olá, tambem não sou vegetariana, mas achei o documentário importantissimo, e por mais que eu vire vegetariana, nada vai adiantar, pois esse nosso hábito de sermos carnivoros, ja virou um vicio.. mais não custa ressaltar que comidas vegetarianas subistituem muito bem a carne, e não é de um dia pro outro nao, mas podemos ir nos concientizando aos poucos, tentar contribuir de alguma forma para nosso planeta.
    E os animais, que pacíficos e inocentes, são torturados e tratados como máquinas, eles tbem sao sensíveis, assim como a gente.
    Não somos carnivoros!

    • girsaum
      novembro 23, 2010 às 16:26

      Só algumas observações… também não somos herbívoros, não substituem totalmente os derivados animais e não precisam ser necessariamente torturados para que sejam abatidos.

      • Marcos Silveira
        novembro 23, 2010 às 19:10

        Ahh meu amigo, essa história de que precisamos comer carne pois senão não teremos todos os nutrientes que o corpo precisa para sobreviver é conversa fiada, discurso já batido da indústria do alimento! Se fosse assim um terço da população mundial que são vegetarianos (ex, indianos, tibetanos, etc.) não estariam vivendo com saúde há séculos…

      • girsaum
        novembro 23, 2010 às 20:52

        Bom, já disse nas respostas anteriores e no texto sobre o que falta numa dieta vegetariana e, principalmente, vegana.

        Abraços

  41. janeiro 5, 2011 às 06:35

    È extremamamente chocante como um ser humano consegue nós surpreender com palavras tão absurdas. 1° Concordo que as leis deveriam e devem ser mudadas não só sobre esse aspecto mas em todos em geral, coisas que possam contribuir para uma sociedade juta e melhor. Como uma pessoa, tem a coragem de dizer as coisas que você disse e sou extremamente a favor a liberdade de expressão: não concordo com o que diz mas lutarei pelo direito de falar. Sinceramente como você compara a sua revista colorida dizendo por que não come-lâ também pela amor do universo, você distorce as palavras, com esse seu ponto de vista medíocre. Por que o vídeo não mostra os dois lados ?? a indústria já exerce tanta influência sobre nós (no seu caso domina a sua mente) que não precisamos mostrar os dois lados da moeda por que ela já está aí para quem quiser “ver”, por que a verdadeira realidade das coisas eles não mostram. Seus argumentos são fracos, estúpidos e degradantes, mas não me surpreendo é tipico do ser humano defender aquilo que ele vem alimentando na sua mente sem realmente parar para observar nas coisas que diz e pensa! Sinto muito que esteje nesse caminho!

    • girsaum
      janeiro 5, 2011 às 16:39

      Argumentos são fracos, estúpidos e degradantes são os que estão presentes no filme. Não estou atacando o consumo exclusivo de vegetais de maneira alguma, apenas mostrei as mentiras ali presentes, um vídeo deseducador e por isso não tomou penetrabilidade maior que alguns blogs de vegetarianos fanáticos. Vegetarianos esses que deveriam lutar por uma propaganda melhor.

      Quanto a revista, foi obviamente uma provocação, apenas para evidenciar a vulnerabilidade de uma pessoa que não entende nada do assunto.

      Abraços

  42. Lucas Rebischke
    fevereiro 9, 2011 às 23:11

    Boa noite, Desenterrei, hehe, nao existe duvidas q o documentario eh ridiculo e tao charlatao quanto uma igreja evangelica falando sobre “evolucao”, perderia eu tempo falando q os “argumentos” sao ridiculos, mas sei q nao preciso gastar meus dedos digitando isso, quem tem um pouquinho de bom senso ja saberia separar o joio do trigo (nao vi muito trigo nessa lavoura).
    Pessoas ficam com pena ao verem animais morrendo em matadouros e por isso comecam a inventar baboseiras bizarras como esse documentario (nao fomos feitos para comer carne, otimo argumento, ja q nossos caninos sao altamente especializados em fazer fotossintese), porem esse é o único motivo que me deixa um pouco em duvida ao dar uma dentada em um bife, saber se ele sofreu muito ou pouco antes de morrer, sei plenamente q sem um minimo de sofrimento deles nao há carne no açougue e sei q todos os animais carnivoros matam para comer (porra, eles podem e nós nao, pq? ._. ), acontece q amolecemos nossos coracoes, mas para alguém comer alguém, um “alguém” sofrerá e o outro “alguém” fartar-se-á, ou seja, a morte não é bonita, mas é necessária, porém, o sofrimento que certos animais sofrem em matadouros é imperdoável e é o unico argumento aceitável para um vegetariano, ja q dietas vegetarianas nao sao melhores q dietas onivoras e o vegetarianismo nao tornaria o mundo mais bonito, saltitante e “melhor”, seria tao devastador como o atual.

    Insisto, muitos se emocionam com videos mostrando torturas e barbaridades, mas pouquissimos tem juizo para manter uma opiniao inteligente e construtiva, afinal, SEMPRE HOUVE animais a serem comidos e animais que os comem, somos apenas mais um dos q “comem”, de barriga cheia somos bomzinhos com nossas presas, quero ver depois de dois dias sem comida quem tem tanta dó de uma galinha assada, hmm, nem precisa ser assada, tenho certeza q a matariam com as próprias mãos, hipocrisia fede…

    OBS: meu pai tem uma criacao de 2.400 porcos ao total, acompanhei-o alguns dias, tenho certeza PLENA q nao sao mal-tratados durante a fase de engorda (fase o qual meu pai eh o responsavel), aliás, tem 5 refeiçoes diarias e agua a bel prazer, coisa que MUITO homem, mulher, criança nao tem, acho q o foco da discussão deveria ser em nossa propria especie que está se fodendo muito, e nao em ficar com dózinha dakilo que comemos

    • Adriana
      março 17, 2011 às 21:37

      Lucas Rebischke

      Com relação ao seu comentário:

      “OBS: meu pai tem uma criacao de 2.400 porcos ao total, acompanhei-o alguns dias, tenho certeza PLENA q nao sao mal-tratados durante a fase de engorda (fase o qual meu pai eh o responsavel)”

      A produção é natural? A castração é ética? Sendo assim:

      Então me manda um e-mail com a marca dos produtos do seu pai e me diga se elas são trazidas aqui para São Paulo (adr_lima@yahoo.com.br)
      Não sou contra comer carne, mas tenho nojo de comer criaturas torturadas. Por isso estou cortando. Acho que todo o animal tem o direito de ser ele mesmo (galinhas devem ciscar, bois devem correr, porcos devem ter suas crias naturalmente) e, claro, eu devo comê-los depois, pois ser animal também significa ser alimento de outros e nem por isso eles deixam de ter uma vida plena. Se eles tiveram uma vida normal e eu me alimentei com um ser domesticado produzido normalmente.

      Estou procurando marcas que dão tratamento mais humanitário aos animais, bem como produtos orgânicos para alimentação, marcas que tratam nossa comida (vegetal ou animal) com respeito e ética. Um leão come carne, mas não força um animal a desde o nascimento à prisão ou privação de seu grupo. Nunca ouvi falar de nenhum outro onívoro que o faça. Um urso polar nos mataria para comer com toda naturalidade, mas ele não nos confinaria em gaiolas. Quem sabe se tivesse nossa inteligência, conseguiriam construir gaiolas. E por isso, mais éticos são os que não sabem construir gaiolas.

      Quanto à sua crítica sobre o filme, Girsaum, achei mais ou menos útil a mim. Vou explicar: assisti a um trecho do filme e fiquei horrorizada com os maus tratos dos animais, afinal, gosto deles, acho muito fofos, até os feios são muito lindos e todas essas coisas bregas sobre. Além disso, não quero pagar para comer bicho sofrido, verdura envenenada, etc. Quero qualidade para minha vida e a dos meus alimentos. Mas, ao mesmo tempo, acredito que até as coisas que são feitas na melhor das intenções deve ser analisada, por isso acabei vindo parar aqui nesse site. Estava exatamente procurando críticas contra o filme para ver “os dois lados da moeda”, como você mesmo mencionou em postagens anteriores. Claro que não encontrei o que realmente queria. Minha atenção estava voltada à ética de tratamento animal. Nem liguei para as informações adicionais. Mas seus questionamentos foram muito instrutivos e válidos, muito bem argumentados, pois realmente, o vídeo, mostra cenas horríveis, misturadas com informações sem fonte de estudo científico ou estatística que o valha. E pior, não tratam o caso de forma completa falando acerca dos vegetais.

      Então deveriam escolher:

      1) Ou fazem um discurso vegetariano verdadeiro do estilo, porque consideramos que não se deve comer carne? É um ato de amor, piedade, etc. Porque os benefícios do vegetarianismo é o mesmo que qualquer outro: alimente-se bem e serás saudável. Alimente-se mal e não o serás.
      2) Ou falam sobre os problemas que esse tipo de criação provoca no meio ambiente e não esqueçam os vegetais, pois são criados do mesmo jeito. Então falem do meio ambiente.

      Quer dizer: ou fazem um discurso sincero sobre o que sentem sobre isso, ou façam um discurso sobre meio ambiente.

      Os vegetais sofrem as mesmas coisas e apresentam os mesmos problemas e riscos para a saúde. São privados do crescimento natural ficando “bombados”, no caso das plantas decorativas, são violentamente podadas e “bombadas”, são tratadas como objetos. Mas, mesmo entre os vegetarianos que prezo, não encontro alguém que pergunte: esse vegetal é orgânico? Esse vegetal foi eticamente tratado? Esquecem que os vegetais são seres vivos também e não lutam para que nossas plantações sejam mais bem tratadas (já foi comprovado que o tomate recebe tanto agrotóxico que possui substâncias que podem nos predispor ao câncer). Onde estão os vegetarianos que lutam pelo seu alimento? Não disseram no filme que não comer carne também é uma questão de saúde? Falta discurso sincero.

      Mesmo os nossos objetos são tratados com um certo carinho, afinal, eu pelo menos acho uma idiotice comprar um livro e destruí-lo no dia seguinte, ou usar um eletrodoméstico incorretamente de propósito. Eu cuido das minhas coisas. E pelo que vi numa revista científica, é próprio do ser humano querer “bem” ao que considera seu ou digno de valor. E em outra pesquisa, vi que os animais, especialmente os mamíferos, nos movem certos sentimentos instintivos, como o caso de pessoas que tratam seu pet como filho. Minha comida é digna de valor para mim. Meus animais de estimação e minhas plantas também. O que chego à conclusão sobre o que você nos informa é que os vegetarianos deveriam simplesmente ser sinceros com seu discurso, se a filosofia de vida vegetariana é boa, como está sendo para a minha irmã, e muitas outras pessoas é melhor mostrá-la como ela é. É melhor fazer a propaganda de que é uma ato de amor do que usar argumentos contestáveis e duvidosos para obrigar as pessoas a se tornarem vegetarianas também. Conheço outras pessoas ótimas que adotaram o vegetarianismo ou o veganismo como estilo de vida por amor e não como doutrina barata de massas, me respeitam muito e eu os respeito também. Acho que alguns vegetarianos deveriam pensar nisso.

      Creio que o vídeo, tenha cenas e descrições que podem ser importantes para uma mudança de mentalidade nos casos de abusos contra animais. O Lucas Rebischke informa sobre o pai dele, mas isso é uma exceção que está ganhando um pouco de espaço somente agora, principalmente no sul (mas ainda não encontrei uma marca que possa me assegurar com transparência que sua carne é “ética”). No entanto, até agora não vi um comentário seu que nos incite a sermos cruéis com nosso alimento animal durante suas vidas. E em nenhum momento o vi dizer que é correto tratarmos os animais conforme foram tratados no que mostra o vídeo.

  43. Camilo
    abril 4, 2011 às 06:09

    Gil,

    Parabéns pelo post.
    Algumas considerações abaixo.

    Sou vegetariano mas sou sincero. Não sou vegetariano para poupar animais. Sou pois sou sádico. A idéia de comer um vegetal que não pode correr, gritar e sangrar me excita. Ainda porque eu sei que todas as imagens desse documentário são falsas e produzidas pelo cinema. Eu sei que os animais que são comidos na sua mesa vão para o abate por vontade própria e até fazem fila cantando “What a wonderful world”. Hoje em dia o abate é feito com tecnologia alienígena, de forma aos animais não sentirem dor e amaciar a carne. Provavelmente passam amaciante de roupa depois para ficar mais fofinho.

    Você conhece alguma pesquisa que comprove que um animal herbívoro, SEM INFLUENCIA HUMANA, como radiação, poluição, estresse entre outros tipos de influência que tenha tido câncer? Claro que não e nem nunca vai ter, aqui está um típico caso de “física quântica”, quanto o observador muda o estado do observado.

    Realmente a galera do vídeo não é nada, afinal, são só profissões inúteis como filósofos, médicos, ambientalistas, biólogos . . . ops, você é biólogo né? Retire o que eu disse.

    Também sei que comer carne é muito mais saudável do que comer vegetais, por isso os nutricionistas são inúteis né? Eles só existem pra te falar “Come pato hoje, come peru amanhã, toda terça você come um pedaço de rã”.

    O wikipedia não vale nada, afinal são desconhecidos escrevendo sobre assuntos aleatórios. A sim, estamos em um blog de um desconhecido escrevendo sobre um assunto aleatório. . . . desculpe. . . estou meio distraído hoje.

    O pessoal do documentário fala da pecuária como você fala da agricultura, logo vamos nos alimentar de água e luz. Resolve os dois problemas.

    Esse papo de torturar animais é lenda também. Intriga da oposição. Acha que tirar o bezerro da mamãe vaca é ruim? Claro que não! Menos trabalho pra ela que nem sabe quem é o pai. Pro bezerro? Também não, ele não vai ter que arrumar o quarto. Alias, ele só vai ter que se preocupar refletir como a vida é boa e ele tem um quarto escuro e literalmente não precisa levantar a pata nenhuma vez na vida. Meu sonho é não ter que levantar a mão nunca, ficar o dia todo em um lugar escuro e húmido.

    Concordo com o comentário do Thiago sobre assistir de uma TV LCD. Acho que se aplica a comer carne e dizer “não estrague o meu jantar com esses vídeos”.

    A Amazônia é muito grande. . . . “nussa”, tem área demais lá. Assim como a flora de lá não tem espaço para trigo, soja e outros grãos, a fauna de lá é principalmente constituída por vacas, isso desde a colonização. Ou será que não existiam vagas nas américas? Sempre confundo. Eram as vacas ou o cacau que só tinha aqui? Enfim, o que importa é o chocolate 🙂 E daí se o bezerro ficou sem o leite e o carinho da mão. Ninguém tem tudo o que quer né?

    Claro que a carne tem uma digestão mais rápida do que frutas, vegetais e verduras! Por isso antes da volta internacional da Pampulha aqui em BH os atletas são unânimes em comer 2 kg de churrasco. Se comerem cereais matinais ou frutas vão ficar com o bucho ceio demais para correr. Afinal enquanto a carne é diferida a fruta germina no nosso estômago.

    Não sou biólogo, médico nem nada disso, sou analista de sistemas e não entendo nada de nutrição. Mas sou vegetariano a mais de um ano e não precisei de nada de carne até hoje. Estranho . . . acho que tem algo errado comigo.

    Sobre os caninos. Existem dezenas de espécies de animais, incluindo alguns primatas que tem caninos e são herbívoros. Eles usam os caninos como arma para se defender quando tem algum confronto. Mentira né? Claro que eles tem uma geladeira cheia de frango.

    Resumindo. A igreja estava certa quando queimava as bruxas, os brancos estavam certos quando torturavam os escravos, os nazistas estavam certos quando matavam os judeus e você está certo quanto come um grande pedaço de carne. Os cientistas como Galileu estavam errados contra a igreja, Martin Luther King foi um idiota ao dizer que negros e brancos tinham que ter direitos iguais, os judeus merecem morrer e os vegetarianos são modistas sem mais o que fazer. Todos os fatos que acabei de citar, aliados ao fato do vegetarianismo e veganismo estarem crescendo provam que estamos em uma “desevolução diária”. Triste . . . onde o mundo vai parar?

    Sobre seu texto. Ele está bem fraco mesmo. . . até pra escrever para blogs temos que ter atenção a figuras de linguagem e “internetes”, digo isso porque tenho um blog de tecnologia e tomo muito cuidado com o que escrevo. Mas nesse artigo em especial, a sintaxe está fabulosa para a semântica. Se melhorasse nem ia acreditar no que estava lendo.

    Por ultimo, sei que não vou te convencer nem quero. Seu blog tem um excelente lema. A evolução diária. Um dia você chega lá 😉

    • girsaum
      abril 4, 2011 às 19:47

      Olá,

      Parece que os vegetarianos são geneticamente preparados para distorcer qualquer palavra que vá contra as suas convicções…

      Não tenho muito o que falar a respeito de suas ironias, há argumentos prévios que as invalida nas diversas respostas às pessoas que comentaram anteriormente e até mesmo no corpo da postagem. Entretanto você foi o único que tocou no assunto do câncer em herbívoros. Só para enriquecer nosso conhecimento a respeito, aqui vão alguns links que mostram a inacreditável mentira que aquele “profissional” contou:

      http://www.revista.inf.br/veterinaria10/revisao/edic-vi-n10-RL67.pdf

      http://www.scielo.br/pdf//pvb/v26n2/a09v26n2.pdf

      http://www.ufpel.edu.br/tede/tde_arquivos/11/TDE-2007-03-30T08:23:55Z-136/Publico/dissertacao_adriano_ramos.pdf

      http://www.revista.inf.br/veterinaria08/relatos/04.pdf

      http://www.fumvet.com.br/novo/revista/44/suplemento/05-13.pdf

      Agora…
      Você conhece alguma pesquisa que comprove que um animal CARNÍVORO, SEM INFLUENCIA HUMANA, como radiação, poluição, estresse entre outros tipos de influência que tenha tido câncer? Claro que não e nem nunca vai ter, aqui está um típico caso de “física quântica”, quanto o observador muda o estado do observado.

      Bom, acho que esse assunto está sanado.

      Mas prosseguindo.. .filosofia foi tudo que não foi tratado no filme; aquela pessoa não era um médico, nem mesmo o Conselho de Medicina considera isso como medicina… e mesmo que considerasse, depois das barbaridades que foram ditas, eles deveriam rever seus conceitos. Sobre ambientalistas: http://www.scielo.br/pdf/cr/v32n6/12758.pdf

      Sobre a agricultura, foi só um contraponto para demonstrar a fragilidade da argumentação do vídeo, o que vc disse só corrobora esse fato, achei que tivesse percebido.

      Em relação à onívora humana, eu nem vou discutir, visto que já dissertei aqui sobre inúmeras características fisiológicas e anatômicas, além das paleo-antropológicas, que demonstram isso.

      O texto é apenas uma junção de várias partes de um fórum de discussão que eu participei sobre o pernicioso vídeo. Não mexi para mantê-lo informal e gerar mais discussão, o que realmente aconteceu, não à toa é o mais comentado do blog.

      Abraços

  44. abril 18, 2011 às 18:57

    Olá girsaum!
    Parabéns pela crítica!
    É ótimo ver que você além de ter uma opinião contrária ao do documentário,escreveu uma crítica tão bem argumentada e inteligente indo de encontro à idéia proposta no documentário.
    Minha professora pretende passar esse documentário nas próximas semanas e na minha turma têm 2 vegetarianos que disseram que o documentário é muito bom.

  45. tamires
    abril 26, 2011 às 17:07

    eita povim que briga meu Deus!
    gente o seguinte é esse:
    o autor do texto a qual estamos comentando não está errado,não completamente errado
    é obvio que a crueldade com animais existe, e não é apenas em matadouros.
    não sou tão experiente no assunto, mas também não sou leiga perante o mesmo… parar de carne não é a solução correta, isso não irá impedir que os bichinho morram de forma cruel e outra se parássemos de comer carne o gado iria aumentar muito mais. ele está certo quando diz que os vegetais também possuem substancias que fazem mal à saúde, mas o agrotóxico não é usado para afetar a saúde humana e sim para ajudar no crescimento saudável das plantas. não é atoa que os nutricionistas nos recomandam lavar bem os alimento antes de comermos e isso vai da conciência de cada um…não que isso retire toda a substância, mas eliminará boa parte dela. então não briguem por bobagem… AH!!! o autor do texto parece mais meu namorado falando! ele é biólogo e eu históriadora não é uma boa combinação não… mas nos entendemos bem. ele usaria as mesmas palavras do autor do texto.

  46. Fátima
    agosto 4, 2011 às 14:08

    Boa tarde Girsaum.
    O tema em torno do comércio de animais gera muita polémica. Pelos comentários que li, quem come carne e quem não come tem argumentos.
    Não vi o documentário e, sinceramente, tenho receio de ver e ficar impressionada. Mas como o debate é sempre bom, resolvi registrar minhas poucas considerações.
    Se permite minha modesta opinião, eu acredito que quanto menor a violência melhor, independente se o sistema límbico é mais ou menos desenvolvido. Talvez eu pense assim porque não consigo ver diferença entre meus animais domésticos e os animais criados para o abate. Acho hipocrisia muitos dizerem “se eu ver matar, eu não como”.
    Se no momento do abate, o animal se estressa a tal ponto, que a carne fica dura, para mim, isso é a resposta para a dor que o animal sentiu. Acredito que no momento de morrer, a dor deve ser muito parecida, sendo animal racional ou irracional.
    Me tornei vegetariana por dó dos animais mas não doutrino ninguém, até porque, não gosto que façam isso comigo.
    Atualmente eu penso que o consumo da carne é mais cultural do que uma necessidade propriamente dita. Falo isso porque sou a única vegetariana que eu conheço, acho engraçado quando as pessoas me encontram em um churrasco, elas me elogiam, dizem que estou bem e com aspecto saudável, e quando eu falo que sou vegetariana, o discurso muda…. começo a ficar pálida na hora!.

    Abraço!

  47. novembro 9, 2011 às 20:25

    Olá,

    Concordo plenamente com cada argumento citado por você.

    Gostaria de utilizá-lo em uma aula e queria saber as referencias em que você se baseou, sites, livros, etc…

    Desde já agradeço !

    Juliana,

  48. Everton Lopes
    dezembro 4, 2011 às 00:57

    para vc dizer q o documentário omite informações vc naum deveria fazer o mesmo. o q ele diz sobre a gordura animal eh que ela e mtu mais saturada, portanto os agrotóxicos q são encontrados nos vegetais existem em quantidade mtu maior na carne.

    e mais: os fertilizantes e inseticidas usados na agricultura são usados por causa da ganância do homem em obter mais lucro. se vc quer ser contra alguma coisa deveria ser contra isso.
    a menos que vc esteja feliz com os rumos q o mundo está tomando.
    mas se vc se sente bem consumindo cadáveres, continue. mas saiba que toda ação tem uma reação, e quem planta ventos colhe tempestades
    e um dia teremos que pagar por cada ação, cada palavra e cada pensamento nosso.

    • girsaum
      dezembro 4, 2011 às 17:53

      O que tem a ver o tipo de gordura com o fato de que os agrotóxicos são utilizados nas plantas, e não nos animais? Não estou omitindo informação nenhuma.

      E o documentário não apenas omite, ele MENTE.

      Não sou contra comer vegetais, sou contra vídeos feitos com o intuito de DESEDUCAR, de formar FANÁTICOS incapazes de PENSAR RACIONALMENTE e CRITICAR.

      Abraços

      • Everton Lopes
        dezembro 4, 2011 às 21:19

        Os agrotóxicos poluentes passam da terra para os pastos; em seguida, são transferidos para a carne do boi e para o leite da vaca. Da carne e do leite, passam depois para o homem, onde vão, progressivamente, se acumulando até atingir um patamar de saturação.(http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X1985000200008)

        não acredito q esse video tenha a capacidade de “deseducar” como vc diz. até porque, devemos ouvir tudo e reter o que é bom. E o que o video faz eh justamente analisar criticamente a alimentação moderna.

        Eu não teria nenhum motivo para falar contra a carne, se o prejuízos do seu consumo incidissem apenas sobre os seus consumidores, mas e quando se fala do gás metano que os bovinos produzem? e sobre outros prejuízos ambientais causados pela pecuária? o que você tem a falar sobre isso?

        Obrigado pela atenção. tenha uma boa semana!

  49. Daniel
    dezembro 6, 2011 às 16:55

    Achei absurda essa materiazinha mal-escrita e oriunda de uma lógica bastante ignorante.
    Cara, as pessoas criticam seu texto há mais de 2 anos, e você continua a rebater as críticas de maneira simplista e repetitiva.

    Você pode não gostar do filme “A Carne é Fraca”. Tudo bem. Eu também, apesar de concordar com a maioria dos pontos, achei o filme malfeito e bem apelativo. Como o seu texto. A diferença é que o filme está melhor intencionado, pesquisado e defendido.

    Recomendo que leia o livro “Comer Animais”, de Jonathan Safran Foer, lançado este ano no Brasil. O título original é “Eating Animals”. É bastante interessante, e discute em maior grau de detalhe esse mesmo tema, com referências e comprovações para cada dado citado. Talvez você ache esse argumento melhor.

    • girsaum
      dezembro 6, 2011 às 18:56

      Se eu repito é porque repetem as mesmas questões. Interessante é que ignorância é o que eu mais recebo nas mensagens.

      Se você diz que a lógica é ignorante vc deve explicar o porquê disso, senão fica uma frase desconexa, sem sentido e inválida.

      Se vc diz que eu respondo de maneira simplista, vc deve dizer qual resposta que não foi esclarecedora, senão o “argumento” é inválido também.

      Eu repito pela enésima vez, o vídeo MENTE do início ao fim, nada é pior que isso. Isso invalida qualquer coisa que venha dele. Um cara fez um vídeo sobre outro vídeo tão estúpido quanto esse e postou no youtube:

      O que estou rebatendo são as mentiras. Vou pesquisar sobre o livro e, caso me interesse, vou querer ler sim. Se o argumento for realmente correto e sem mentiras, posso até escrever elogiando. Não sou opositor dos vegetarianos, só quero que haja um real motivo para isso.

      Abraços

  50. Mauro Filho
    março 14, 2012 às 11:02

    Prezado(a), com todo o respeito, você escreveu muita bobagem nesse seu texto. Você discorda das ideias do filme e simplesmente as acha absurdas, crendo serem igualmente absurdos os montes de argumentos absolutamente bem colocados por ele. Espero que você, e cada pessoa que ler esse seu texto, tenha oportunidade de se informar e refletir mais sobre o assunto. Seria melhor, é claro, se eu apontasse cada bobagem e justificasse, mas desta vez eu vou ficar por aqui. Abraço.

    • girsaum
      março 14, 2012 às 17:05

      Bom, como vc não comentou nada, toda e qualquer palavra que escreveu se torna improfícua.

      Abraços

  51. Dani
    junho 12, 2012 às 11:20

    Tem toda a razão ao dizer que o documentário tem várias falhas. As imagens parecem-me reais, portanto mesmo que não aconteça em TODO o lugar, acontece EM ALGUM lugar, não podendo ser tomado como mentira. Gostei da forma como critica a frase que diz que os animais herbívoros não têm cancro. É verdade que têm cancro, e nisso o documentário erra. No entanto, caso queira mesmo saber a verdade, basta pesquisar um pouco no google. Os países que têm maior incidência de cancro são de fato (e com grande diferença) aqueles onde se come mais carne por habitante. Coincidência?? Não me parece…

    Por fim, quem critica uma ideia deve dar uma alternativa. Eu, como busco a verdade e o melhor, estou curioso para ler a sua. Peço, por favor, que indique quais os problemas que vêem do vegetarianismo (difícil, tendo em conta que há cada vez mais estudos que indicam ser a dieta mais saudável para o ser humano). Basta-me apenas um defeito que o vegetarianismo tenha (fundamentado em estudos científicos, como é óbvio).

    Mais uma vez, obrigado por apontar os defeitos do documentário. Opiniões nunca são demais!

    • girsaum
      junho 14, 2012 às 18:01

      Olá,

      Obrigado pela resposta e por fomentar a discussão.

      O ponto principal da crítica é que o documentário desinforma, deseduca, para criar fanáticos. É aí que mora o problema.

      Os fins justificam os meios? Já que há tantos argumentos positivos para ser vegetariano, pra que fazer isso?

      Sobre os problemas da dieta, não é novidade a carência da vitamina B12 nos vegetarianos. Também, além da quantidade de proteínas nos alimentos do reino vegetal não é tão rica quanto nos alimentos do reino animal e, mesmo comendo vegetais ricos em proteínas, é sabido que a absorção destas é muito pequena.

      Enfim, eu não tenho nenhum problema com pessoas vegetarianas e acho que se a pessoa não gosta de carne, seja qual for o motivo, ela deve mesmo ter a dieta que a satisfaça. O que me incomoda são fanáticos-terroristas que ficam disseminando absurdos e falácias aos quatro cantos sem se importar com nada, com o único objetivo ganancioso de formar descerebrados combatentes dos (por eles chamados) “carnívoros”.

      Para finalizar, não conheço estudos que confirmam a maior presença da carne na dieta gera mais câncer mas, de qualquer modo, devemos atentar ao fato de que um bom estudo deveria avaliar pessoas com uma dieta ótima onívora e com uma dieta ótima vegetariana e compará-las. De nada adianta ter um estudo em que não se há um controle rigoroso sobre a alimentação, pois obviamente exageros em determinadas carnes, e a presença da gordura animal, pode acarretar em problemas de saúde em comparação a outros. Entretanto, pretendo fazer um vídeo ou, caso não seja possível, um texto revisando esse documentário estapafúrdio de maneira mais moderada e com argumentação científica e referências. Escrevi esse protesto há muito tempo, como já disse aqui, numa discussão numa comunidade do orkut.

      Obrigado pela participação!

      Abraços

  52. Dani
    junho 15, 2012 às 08:02

    Gostei da sua resposta. Alerto só para o facto de que EXISTEM estudos que comprovam CIENTIFICAMENTE que a dieta vegetariana é mais saudável que a dieta “normal” de carne. É só pesquisar no google pelo artigo da revista National Geographic: “Longevity, The Secrets of Long Life”, e/ou pelo documentário “Forks over Knives”. Ambos são baseados em pesquisas científicas oficiais, incluindo da própria associação de saúde dos Estados Unidos da América.

    Boas escolhas 🙂

  53. Bruno Valladão
    setembro 2, 2012 às 03:12

    Olá,
    Não costumo me interessar muito por todo esse assunto, visto que sou aquele típico viciado em tecnologia que costuma ignorar todo essa papo de “natureza”.
    Porem vi o documentário, e mesmo não tendo conhecimento pude perceber a CLARA apelação dos indivíduos envolvidos. Tanto que, quando eu escutei a frase “ponha uma criança com fome em uma sala com uma maçã e um coelho..” já comecei a dar risada, pois sabia que viria merda pela frente. Então após assistir o documentário, procurei por críticas e vim parar aqui. Obrigado pelo conteúdo. Diferente da maioria das pessoas, (que eu infelizmente não consigo acreditar que não são ignorantes) eu entendi seu ponto de vista que não sustenta toda a crueldade mostrada no documentário mas sim apenas mostra quão ridículo são os argumentos.
    Enfim, concordo com seus argumentos, mas minha questão é outra:
    Até que ponto as imagens mostradas são realmente realidade? Até onde realmente tudo aquilo é rotineiro e comum em diversos frigoríficos? Sei que o ato de criar animais e abate-los para alimentação não pode ser “inocente”, mas torturá-los dessa forma é intolerável.
    Gostaria de me informar mais sobre os procedimentos divulgados no documentário. Espero que eles sejam exceções e tão apelativos quanto os argumentos.

  54. Renata
    novembro 28, 2012 às 14:36

    Este documentário mostra a forma errada de manejo de animais para abate, a maioria são clandestinos e sem preocupação com o bem estar animal. Quanto ao alimento, não sei bem pois cada um fala uma coisa. Eu parei de comer carne, por amor aos animais. Em relação a não fazer mal aos animais, eu diria que isso, infelizmente, parece impossível pela parte da ignorância humana, deveriamos acabar de usar medicamentos, vacinas, curas de doenças, produtos e tantas outras coisas. A culpa sobre o desmatamento não é apenas por causa do gado, se for assim, o aumento de vegetarianos, como plantações de soja por exemplo, o desmatamento continuaria da mesma forma. Sobre os gases soltados pelos animais é o que mais me espanta… Dúvido que toda ação humana ( uso do gás, energia, carro, combustiveis, consumo e além de outros impactos) seja menor que os gases “soltados” pelos bovinos. Não sou a favor do rodeio, isso para mim é uma idiotisse sem tamanho, uma futilidade. Sendo zootecnista, eu sei muito bem que existe coisas erradas dos dois lados carneXvegetarianismo , mas eu foco em deixar o animal ter uma boa vida até a hora de seu abate (eu não mexo com abate), sim parece cruel, mas a vida não é justa. Não suporto alguém virar para um boi e dizer “que delicia, churrasco!”, quero um minímo de respeito com meu animal, ali ele é um boi livre, pastando… Pensei muito nisso, mas quando não existia a preocupação do bem estar animal para animais de abate, isso era bem pior para eles, querendo ou não, a maioria das pessoas não criam vacas para estimação. Meu foco não é fazer as pessoas pararem ou comerem carne, eu quero cuirdar do animal, decentemente e ter um abate mais “humanitário”… Podemos ter metade da população vegetariana/vegana, mas se a outra comer carne… Isso não vai mudar, sinto em dizer. Nem o mundo animal é justo, o leão come carne e até galinhas se ficarem sem comida viram canibais. Trabalho com gado de leite também, nenhuma vaca minha é maltratada, os bezerros ficam mais tempo com elas e o desmame é controlado, elas passam boa parte do tempo no pasto, elas escutam musica e tudo isso ajudou para que elas produzem mais leite e com isso elas ficam menos tempo na ordenha…
    Queria dizer também que não basta parar de comer carne pra salvar o mundo, mas você separa seu lixo? diminuiu o seu consumo? sabe que produto está comprando?
    Esse é um assunto muito complexo que não existe apenas um lado errado.
    Também fiquei espantada com as ignorancias das pessoas: sim, está na biblia que Deus deixou que poderiamos consumir alguns animais mas de forma correta… Se a culpa é porque tem muitos bois ou galinhas, deveriamos sacrificar então muitos seres humanos, pois não existe animal que mais prejudica o meio ambiente e seus semelhantes que este. Já vi que tem muitos vegetarianos que são uns ignorantes…

  55. Stella
    janeiro 29, 2013 às 01:05

    Depois de ter lido coisas prejudiciais a um Instituto tão sério quanto o Nina Rosa, pessoas dizendo coisas impróprias, acusando os militantes do movimento de serem ninguém, de terem interesses excusos … parei de ler, só penso a respeito dos bilhões de “ninguéns” que também são mortos anualmente por uma indústria espúria que se baseia na nossa condição de ignorância, de falta de reconhecimento e de valorização pelos outros seres vivos. Contam com os contingentes humanos de outros “ninguéns” da vida para perpetuarem suas brutais práticas milenares de barbaridades. Quem são os “especialistas” para tais? São os mesmos que indulgem-se em suas experimentações laboratoriais cruéis, onde animais são usados em testes bizarros, esses seriam as autoridades no assunto para os detratores das práticas em favor do respeito à vida animal.

    • girsaum
      fevereiro 14, 2013 às 23:48

      Instituto SÉRIO????????????????????? Jura? Com todas essa mentiras absurdas? Acho que mentira é algo INADMISSÍVEL para algo que diz INFORMAR. Me desculpe. Você choveu no molhado durante todo seu comentário.

      Sinta-se a vontade para voltar com argumentos melhores.

      Abraços.

  56. warezapplz
    março 30, 2013 às 07:15

    Bicho, você não vai abrir mão do que você pensa, a verdade é essa. Tem 4 anos que as pessoas conversam com você a respeito da real intenção do vídeo, que claramente é exaltar os prós e os contras do carnivorismo/herbivorismo, e tudo o que você fez foi se colocar como um ser ‘superior’ perante as discussões e os comentários dos outros, julgando erros de português e dados irrelevantes do documentário. E daí que exista ‘câncer em herbívoros’? Ou você sinceramente acredita que carnívoros não possuem maior probabilidade de desenvolver um câncer do que herbívoros? Esse é o ponto meu caro, probabilidade.. o ponto aqui é o seguinte viés: ponha-se na posição do animal. Imagine-se nascendo numa incubadora, sem sequer ter sido cuidado pela sua mãe. Vivendo preso por cordas dentro de um estábulo, pra não criar músculos. Imagine-se comendo apenas um alimento, até que atinja determinado peso. Sinta-se sendo ‘tocado’ para dentro de um caminhão que o vai conduzir para um abatedouro. Imagine-se na fila do abate, sabendo que dali em diante, é questão de esperar pra morrer. Imagine-se levando um tiro de ar comprimido na cabeça, para inibir os receptores de dor mas, ainda consciente, levar uma facada na aorta para fazer a sangria enquanto você ainda está vivo. Só de pensar meu amigo, eu me borraria. E uma das poucas coisas que não vi os animais fazendo na hora do abate é defecar/urinar como reflexo nervoso.. não é questão de ‘racionalizar’ as técnicas de produção.. a questão aqui é deixar de alimentar-se com um outro ser que possui vida, que possui consciência. Nem mais, nem menos. Você, pelo visto, vai continuar fazendo churrasco, comendo carne, e criticando os argumentos do documentário. Eu decidi me tornar Vegetariano por causa dele. Cada um sabe o que faz de sua vida. A minha consciência vai ficar um pouco mais leve sendo Vegetariano. Se a sua vai continuar leve enquanto carnívoro, tudo bem. Mas apenas procure argumentos melhores e pessoais para falar sobre o assunto, além de tachá-lo como mentiroso e tantas outras coisas que você disse.

    • girsaum
      março 31, 2013 às 22:21

      Cara, quem não aprende são vocês, sempre voltando a bater na mesma tecla. Como assim “e daí que tem mentiras”? Como assim?

      O que eu repito um milhão de vezes é que o vídeo deseduca. Eu não penso que os fins justificam os meios, em hipótese alguma.

      Você está equivocado, a real intenção do vídeo é inventar fatos, estatísticas, dados, motivos absurdos e mentirosos para criar uma massa fanática que sigam cegamente esse bando descerebrado. À partir do momento que alguém precisa inventar alguma coisa para provar seu ponto, esse ponto já não é válido. Seria o mesmo que fazer um vídeo falando que o pastor Marcos Feliciano arranca os olhos de homossexuais no porão da casa dele para que as pessoas apoiem sua renuncia. Entende? Por mais que seja discutível, até mesmo inaceitável, sua permanência na presidência dos direitos humanos e minorias da câmara, uma pessoa NÃO PODE INVENTAR FATOS para fazer valer seu ponto de vista.

      Seria muito melhor e muito mais digno um vídeo que falasse tudo isso aí que você está falando, do que assassinar a biologia dizendo que a carne apodrece no estômago. É a mesma coisa que dizer que a bebida derrete o estômago numa propaganda contra bebidas por adolescentes. Essa atitude, que você e muitos vegetarianos acham correta, age CONTRA A SUA CAUSA. Isso porque eu nem estou tocando no que diz respeito aos argumentos infantis…

      Você certamente viu também nos comentários, vegetarianos que concordam com isso que eu venho repetindo em TODOS os comentários. Os fins não justificam os meios. Eu não mataria minha mãe para salvar 30 crianças.

      Uma coisa. Não sei se carnívoros têm maior incidência de câncer do que herbívoros. Não há nenhum estudo que comprove isso. Se isso for realmente comprovado não terei nenhum problema em aceitar.

      Não acho que eu precise de argumento melhores para tachar esse vídeo de mentiroso. Aliás, eu nem preciso de argumentos para tachá-lo desta maneira. Ele assim o é… Tanto que NENHUMA PESSOA conseguiu validar essas coisas. Se você acha que não devemos tachá-lo assim, faça as honras. Perceba que, mesmo se o vídeo fosse perfeito, UMA MENTIRA DESSAS que ele contasse, mesmo que fosse rapidamente, já o invalidaria totalmente.

      Continuarei comendo carne, porque o que os estudos vêm mostrando, uma alimentação saudável deve ser balanceada. Nunca vi nenhuma pesquisa que prove que ser vegetariano é ser mais saudável.

      Abraços

  57. Júlio Cezar
    abril 11, 2013 às 20:07
    • girsaum
      abril 11, 2013 às 22:11

      Blz, vou dar uma olhada e volto depois para comentar.

      Abraços

  58. Mariana
    novembro 23, 2013 às 13:56

    Olá…um texto muito critico o seu, sou vegetariana e concordo em algumas partes. Por exemplo, tudo em excesso faz mal, o excesso de produção de carne faz mal e consequentemente se todos parassem de comer carne, haveria excesso de produção de vegetais e etc, que tambem faria mal. O video sim, esconde o outro lado da moeda, mas, o objetivo do video é parar o sofrimento animal, no momento, desenfreado.

    Não seria melhor termos um problema de excesso de produção de vegetal do que um problema de excesso de produção de carne, já que no caso da 2ª o animal SOFRE? Parou pra pensar nisso?!! NÃO, não somos “onivoros”. não temos realmente sistema digestorio apropriado (ou adaptado) à isso, nao temos dentes que os animais carnivoros tem, etc…

    E assim, se voce nao concorda com o video e tals e nem pensa em ser vegetariano, pense pelo menos, nos animais, e no sofrimento deles. Fazer com que os produtores amenizem a dor é só esconder o problema. Vida é vida, e ninguem quer morrer. Mesmo se forem bem tratados, no final, irão morrer, e eles sabem, e a menos que voce dê um sedativo antes da morte, eles vão sentir medo, desespero e etc, pois são sensientes.

    Pense no próximo, é disso que o mundo precisa. Outra coisa, já parou pra pensar que se o consumo de carne acabasse, o quão facil seria para cada um ter sua hortinha em casa, produzir seu proprio alimento, o quão barato para nós isso nao sairia? Bom eu vivo assim (e moro em cidade) e te digo que é muuuuuuito bom, sem agrotóxicos nem nada, talvez isso resolveria o problema da produção desenfreada (tambem) dos vegetais cheios de pesticidas….

    • girsaum
      agosto 6, 2014 às 23:44

      Olá,

      Dê uma lida nos outros comentários, por favor. Tudo que você disse aqui já foi discutido anteriormente.

      Só pra fazer um resumo dos argumentos nesses comentários que eu respondi: SIM, SOMOS ONÍVOROS e o vegetarianismo não é a solução da fome nem da economia mundial etc etc etc…

      Abraços

  59. Flávia
    fevereiro 4, 2014 às 19:30

    Quantos argumentos forçados, hein?
    Algumas das toxinas liberadas no momento do abate: adrenocromo e adrenolutina.

  60. Daniele Fébole
    março 9, 2014 às 23:51

    Olá, estava assistindo ao documentário e resolvi ir atrás de opiniões a respeito do mesmo e cheguei até o seu blog.
    Li seu texto e achei bem pertinente em relação a forma como o documentário foi feito, em relação a este ser tendencioso. Comecei a ler os comentários, mas infelizmente os achei infrutíferos e me cansei, então resolvi escrever para colocar em pauta algumas considerações que eu fiquei pensando durante o vídeo.
    Em relação aos impactos ambientais, acredito eu que em relação ao solo, as matas, a poluição da água, da camada de ozônio, e principalmente os grãos destinados aos animais em questão, causam grande impacto ambiental, que talvez só vamos entender o resultado mais pra frente, quando chegarmos a níveis extremos. Você mesmo disse sobre os agrotóxicos que seriam utilizados, que também seriam nocivos. A agricultura orgânica não seria uma alternativa? Dai tem a questão de inviabilizar em relação ao preço. Acredito eu que a carne também é bem cara e elitista. A única coisa que me vem a mente é a questão de oferta e procura e a necessidade do capitalismo. Grande parte do que é produzido, é para exportação, e se produz muito mais do que necessitamos.Eu não sei quanto a exportação traz de ganho pro país, mas de verdade, acho que a corrupção tira dos nossos cofres muito mais que isso. Você havia dito também sobre a necessidade de mais leis e maior fiscalização.Acredito que isso iria encarecer os custos, uma vez que os frigoríficos não oferecem “vida digna” nem aos bois/vacas nem aos seus trabalhadores. Posso dizer o mesmo sobre os porcos e aves. Entrando aqui numa discussão que eu não costumo ir muito que é sobre o sofrimento dos animais e a criação deles unicamente para o nosso consumo. Acho que o que eu mais gostaria de frisar, dentro do que eu pensei a respeito, é que se esses impactos realmente existirem, e o nosso sistema do jeito que é, visando o lucro e o enriquecimento de poucos em detrimento da fome de muitos, eu não vejo uma solução tão fácil e nem tão próxima. Parar de comer carne ou não é algo a se pensar, mas acho que mais do que isso é a forma como nossa economia vem se desenvolvendo (falo isso sem ser marxista, mas como uma graduanda em psicologia que se depara todos os dias com uma luta sem fim pela igualdade e pela equidade).
    Enfim, era mais isso, não sei se disse muita coisa concreta, foram só questões que ficaram fervilhando e que me parecem urgentes.

    Abraços

    • girsaum
      agosto 6, 2014 às 23:19

      Muito obrigado pela resposta sensata, coisa meio difícil de acontecer por aqui. Escrevi esse texto a muito tempo atrás, numa discussão no finado orkut… Minha intenção, originalmente, era defender a produção de carne com a mesma intensidade que o pseudo-documentário, porém sem me utilizar de mentiras. Se há algo que eu escrevi que fuja da verdade, foi erro honesto. Há muito tempo não revisito esse texto, que é de longe o mais acessado deste blog. Pensei por vezes em deletá-lo e escrever uma versão mais sóbria e com referências exatas, tudo linkado, mas infelizmente ando sem tempo para tanta dedicação no presente momento.

      Entretanto, você disse que não falou nada muito concreto e me pareceu achar seu texto sem conclusão. Eu achei ótimo. Nem sempre precisamos ter uma conclusão para tudo, às vezes temos que escrever apenas para refletir e/ou fazer com que os outros reflitam com os nossos pensamentos, argumentos, dados, fatos que temos a expor etc.

      Muito obrigado pelo seu comentário, valeu a pena eu ter 200 deles me xingando para ter um nesse nível de qualidade.

      Grande abraço.

  61. Joana Amorim
    outubro 18, 2014 às 12:29

    Comer carne ou não é uma decisão individual. Mas é importante que as pessoas saibam como tudo é produzido. Não como antigamente, cada um tinha seu pedaço de terra, você ia lá, pegava um porco para o abate, e ele tinha seu momento de morte, mas tinha vivido um vida digna e feliz. Essa industrialização e produção em massa desses animais e a forma como são tratados é dantesca. O desespero daqueles porcos é visível. As sensações de pavor e medo, o cheiro da morte, tudo isso é real. É bem feio de ser ver. Mas os videos sobre naturezas selvagem também são horríveis. Tudo é horrível. Não há como escapar, habitamos nesse planeta e somos escravos desse sistema. Acho que esses videos de conscientização servem pra levarmos a vida mais a sério, e sabermos que para que possamos nos manter vivos, outros seres sensíveis e emotivos pagam um preço bem caro. Então vamos tentar fazer de nossas vidas algo útil e produtivo, fazer valer o preço que é pago por ela. Procurar um pouco do sagrado em cada dia de nossa vida, e não viver de forma leviana e irresponsável…

  1. julho 23, 2015 às 17:53

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: