Archive

Archive for abril \25\UTC 2011

Livros que Li: A Luneta Âmbar (Trilogia Fronteiras do Universo)

abril 25, 2011 3 comentários

Já comentei AQUI sobre o primeiro e AQUI sobre o segundo livro da trilogia Fronteiras do Universo, escrita pelo inglês Philip Pullman. Nesse post comentarei sobre o terceiro livro.

No derradeiro capítulo da trilogia temos a história praticamente inteira em si. A história começa a ficar tão grande e complexa que, quando estava lendo, eu fiquei com medo que o autor ficasse menor que a história e não pudesse lhe dar um final digno. Ledo engano (ainda bem), Pullman vai aos poucos juntando os pontos que estavam soltos desde o primeiro livro, passando pelo segundo, ao mesmo tempo em que vai formando um mistério a respeito do universo que criou.

Lyra e Will começam a amadurecer em “A Luneta Âmbar”, personagens antigos começam a ter importante papel na trama. Reside nesse livro uma elucidação dos fatos e da estrutura da vida, da matéria, dos seres e tudo mais que existe e interfere na vida que pode desagradar as pessoas mais religiosas. Entretanto devemos ter em mente que o livro é uma ficção e nada mais, ninguém vai pensar que a estrutura do universo seja realmente dessa maneira.

Desde o começo da trama, o ritmo é empolgante, e acontecimentos anteriores que parecia despretensiosas nos outros volumes, e até mesmo neste, mostram ter valor importante numa trama que vai se fechando e ligando todos os pontos de uma maneira espetacular e de grande imaginação. Os protagonistas, crescidos, transbordam carisma e todos personagens têm um final digno da história, que foge da dualidade do “bem” e do “mal”.

É complicado falar sem entregar. Só me resta recomendar também o terceiro volume que, na minha opinião, é disparado o melhor dos três. E lembre-se, esqueça o filme, não estrague a verdadeira história.

Leia sobre o volume 1:  Bússola de Ouro.

Leia sobre o volume 2: A Faca Sutil.

HOME

Confira o CONTEÚDO DO BLOG por ordem de popularidade.

Veja mais críticas

Os 5 Hinos Nacionais Mais Bonitos

abril 18, 2011 114 comentários

Na minha opinião!

1º- o meu favorito, hino da alemanha, O Canto dos Alemães, uma belíssima melodia:

2º – Hino Francês, beleza indiscutível:

3º – Hino Italiano,Fratelli d’Italia, animado como seu povo:

4º -Hino Nacional Brasileiro:

5º – De uma nação que não existe mais, a antiga Iuguslávia que foi desmembrada em vários países, mas achei a melodia grandiosa, imponente:

Visite o blog COMPLETO.

Confira o CONTEÚDO DO BLOG por ordem de popularidade.

Veja mais críticas

Categorias:Música, Mundo, Vídeos

History Channel

abril 14, 2011 2 comentários

Infelizmente venho expressar minha grande decepção com esse canal. Quando ele entrou na grade de programação eu fiquei realmente muito feliz, pois o Discovery Channel há muito havia se rendido a documentários paupérrimos em conteúdo e reality shows totalmente incoerentes ao propósito.

Vejo que isso está também acontecendo com o History. Programas absurdos e sensacionalistas, que nem se dão ao trabalho, quando se trata de ciência, a seguir uma metodologia científica, nem que seja básica. Top Shot (propaganda da indústria de armas?), Os Super-Humanos de Stan Lee e Fatiado, programas dos mais apelativos e que nada acrescentam à vida de ninguém que esteja acompanhando, sem contar que nada têm a ver com história. Já Caçadores de Relíquias, Trato Feito, tem a ver com história, mas estão muito aquém do nível mínimo para não ser desprezível. Caçadores de Óvnis e Arquivos Extraterrestres são os que mais me deixam preocupado, visto a incrível ausência da metodologia científica que deveria ter papel central nesses casos de teoria da conspiração e crendice fanática, um charlatanismo horroroso, são programas fracos com argumentação espúria ao extremo.

O que aconteceu com os excelentes programas sobre a história? Cadê o poço histórico que transbordava cultura nesse canal? Tudo bem que haja um programa ou outro com um nível péssimo, mas toda essa avalanche? Pra quê? Esses programas deveria ser a exceção da programação, e não O Universo, Exploração Inca e Filmes da Segunda Guerra!

Há tanta história para contar! Nunca vi um programa sobre a I Guerra Mundial, parece que ela não existiu!!! Seria tão interessante! O que dizer então dos grandes nomes da Ciência? E da política e economia pós I Grande Guerra? E da Revolução Russa? Sem contar as mais antigas histórias da humanidade! Eles costumavam a contar… seria utopia esperar que voltassem a fazer o mesmo novamente?

HOME

Confira o CONTEÚDO DO BLOG por ordem de popularidade.

Veja mais críticas

A Mente dos Grandes Filósofos

abril 11, 2011 2 comentários

Platão (428 a.C. – 347 a.C.)

“A democracia se estabelece quando os pobres (‘hoipénetes’), tendo vencido seus inimigos, massacram alguns, banem os outros e partilham igualmente com os restantes o governo e as magistraturas.”

Spinoza (1632 – 1677)

“Tenho me esforçado por não rir das ações humanas, por não deplorá-las nem odiá-las, mas por entendê-las.”

Arthur Schopenhauer (1788 – 1860)

“A riqueza influencia-nos como a água do mar. Quanto mais bebemos, mais sede temos”

“Nem todos os loucos ou burros são fanáticos, mas todos os fanáticos são loucos ou burros”

Friedrich Nietzsche (1844-1900)

“O super-homem é o sentido da terra. Eu vos conjuro, irmãos meus, a que permaneçais fiéis ao sentido da terra e não presteis fé aos que falam de esperanças supraterrenas.”

“O que não provoca minha morte faz com que eu fique mais forte.”

“Em uma grande vitória, o que existe de melhor, é que ela tira do vencedor o receio de uma derrota.”

Voltaire (1694-1778)

” Meus amigos, uma falsa ciência gera ateus, mas a verdadeira ciência leva os homens a se curvar diante da divindade…”

“Eu posso não concordar com o que você diz, mas defenderei até a morte o direito de dizê-las”

“As opiniões causaram mais males do que a peste ou terremotos neste pequeno mundo nosso”

Francis Bacon (1561-1626)

“A esperança é um bom desjejum, mas um péssimo jantar.”

“O silêncio é a virtude dos imbecis.”

Aristóteles (384 a.C.–322 a.C)

“A lei é a razão livre de paixão.”

“O Homem é, por natureza, um animal político.”

“Um amigo é uma alma em dois corpos.”

Sócrates (470 a.C.-399 a.C.)

“Uma vida não-suscetível de exame não vale a pena ser vivida.”

“Tudo que sei é que nada sei.”

Karl Marx (1818-1883)

“As idéias dominantes de uma época sempre foram as idéias da classe dominante.”

“Até agora os filósofos ficam preocupados na interpretação do mundo de várias maneiras. O que importa é transformá-lo.”

“Os trabalhadores não têm nada a perder em uma revolução comunista, a não ser suas correntes.”

Epicuro (341 a.C.-270 a.C.)

“Nada é suficiente para quem o suficiente é pouco.”

“A necessidade é um mal, mas não há necessidade alguma de viver com necessidade.”

Kant (1724-1804)

“O sonho é uma arte poética involuntária.”

“O homem é o único animal que precisa trabalhar.”

“O homem não é nada além daquilo que a educação faz dele.”

Karl Popper (1902—1994)

“Não sabemos. Só podemos conjeturar.”

“Não é possível discutir racionalmente com alguém que prefere matar-nos a ser convencido pelos nossos argumentos.”

Descartes (1596-1650)

“Penso, logo existo”

“É melhor ter os olhos fechados, sem jamais tentar abri-los, do que viver sem filosofar”

Engels (1820-1895)

“Um grama de ação vale mais do que uma tonelada de teoria.”

Hegel (1770-1831)

“Tudo o que é racional é real e tudo o que é real é racional.”

“Nada existe de grandioso sem Paixão.”

Confúcio (551 a.C.-479 a.C.)

“Estudar e não pensar é um desperdício. Pensar e não estudar é perigoso.”

“Se você vir o que é certo e falhar ao fazê-lo, lhe falta coragem.”

Veja também A Mente dos Grandes Cientistas.

HOME

Confira o CONTEÚDO DO BLOG por ordem de popularidade.

Categorias:Mundo