Arquivo

Archive for the ‘Charlatanismo’ Category

Criacionismo nas Escolas: Tendência Mundial?

fevereiro 6, 2012 1 comentário

Fiquei sabendo sobre esta matéria através de uma nota de repúdio publicada na página do facebook da Liga Humanista Secular, da qual sou membro. Então resolvi escrever essa postagem na esperança de que alguém que esteja procurando sobre esse mar de mentiras, venha ocasionalmente parar aqui para uma visão científica do neo-darwinismo despido de manipulações de fanáticos.

O site evangélico “verdade gospel” publicou semana passada uma notícia intitulada:

“Alerta: criacionismo nas escolas pode ser tendência mundial”
http://www.verdadegospel.com/criacionismo-nas-escolas-pode-ser-tendencia-mundial/

Como era de se esperar, a “notícia” vem recheada de preceitos e informações (ao meu ver, intencionalmente) erradas sobre o evolucionismo, na peregrinação crente de deseducar os bem informados e manter ignorantes científicos seus fiéis. Com o intuito de esclarecer essas mentiras, comentarei a seguir cada uma delas, separadamente.

“Esse processo [evolução] significa que os mais fortes sobrevivem e com a combinação de seus genes geram filhos mais fortes. Assim, cada geração é mais forte que a anterior, e os fracos da espécie são extintos.”

Esse é um erro muito comum na compreensão da evolução neo-darwinista. Uma palavra fundamental na definição do evolucionismo aqui foi trocada (na minha opinião, de forma intencional e perniciosa). Não são os mais fortes que sobrevivem, mas sim os mais adaptados. Um bom exemplo é a extinção no final do período mesozóico, mais precisamente o final do cretáceo, em que os grandes répteis, os animais mais fortes do planeta na época, sucumbiram com o impacto de um meteoro gigantesco e com as consequências do evento, mas os pequenos mamíferos, não. Ora, os mamíferos daquela era não possuíam um centésimo da força dos grandes répteis que reinavam absolutos nosso planeta, mas eram capazes de se esconder deles, eram difíceis de caçar e precisavam de pouca quantidade de comida. Essas características mais “humildes” desses pequenos roedores lhes garantiram a sobrevivência ante às adversidades climáticas ocasionadas pela catástrofe. O mais fraco e menor teve mais sucesso que o mais forte e maior, pois era mais adaptado para sobreviver naquele cenário.

“Muitos ligam o ensino deste pensamento a conceitos de ateísmo, segundo o Urban Christian News.”

Aqui encontramos uma afirmação genérica sem qualquer embasamento. O correto seria ao menos citar uma pesquisa que demonstrasse o fato alegado. O ateísmo, como bem sabemos, nada tem a ver com o evolucionismo, mas sim na descrença em um ou mais deuses. Mas, como os evangélicos são cegos (alguns intencionalmente?) à essa razão, e como, em geral, demonizam o ateu, eles forçam a ligação de uma coisa a outra para demonizar tudo, fazendo com que seus fiéis rejeitem ambos.

“O norte-americano republicano Jerry Bergevin, por exemplo, associa o ensino da teoria da evolução às atrocidades de Hitler e à falta de respeito aos direitos humanos em países como a União Soviética, Cuba, os nazistas e a China atual.”

Essa acusação é tão batida e descabida que eu nem deveria me designar a responder, mas como essa é uma postagem de esclarecimento, eu vou repetir o que é sempre dito. Primeiro que, para fazer essas afirmações, é evocado o nome de um ninguém que não é nada, apenas republicano, como se isso desse um selo de qualidade a alguém. Seguindo…

Teoria da Evolução e as atrocidades de Hitler: o que Hitler praticou foi a eugenia, ele acreditava que a então chamada “raça ariana” era superior e queria mantê-la “pura”, impedindo que os cidadão alemãos tivessem descendentes mestiços, seja com judeus, negros ou deficientes mentais. Isso tem muito menos a ver com ciência do que com crença, pois era uma crença de que os alemães eram superiores. Além do mais, seu objetivo não era fazer com que houvesse uma evolução da raça ariana, mas sim “evitar sua degeneração” com “cruzamentos impróprios”, a raça ariana já era considerada “mais evoluída”. Inclusive, basta entender corretamente a evolução e um pouquinho de genética para saber que a miscigenação é benéfica, dois bom exemplos é a incidência muito maior da Síndrome de Bloom em judeus Ashkenazi (http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/10464606) e da doença de Tay-Sachs (http://www.mazornet.com/genetics/tay-sachs.htm) nos mesmos, devido a casamentos internos, comuns nesta cultura. E Hitler era cristão, não ateu.

Os países comunistas desrespeitam os direitos humanos não por causa da seleção natural (isso é um absurdo!), mas sim pela sede de poder dos governantes que levam ao extremo e interpretam mal (intencionalmente) a filosofia comunista. Interessante que o texto acusa o que não há pra se acusar e “omite” a falta de respeito aos direitos humanos nos países regidos unicamente por uma religião, como é o caso dos países árabes. O texto também omite o fato de países com maior número relativo de descrentes serem os melhores para se viver (http://bulevoador.haaan.com/2011/04/22175/)(http://ex-cristao.blogspot.com/2007/09/causas-sociais-do-atesmo.html)

Esse início do artigo foi apenas uma introdução para que o leitor já ligue diretamente o ateísmo a uma coisa ruim, o ateísmo ao evolucionismo e, consequentemente, o evolucionismo a uma coisa ruim. Vejamos o que vem em seguida:

“Segundo sua declaração à publicação Concord Monitor, a ideia evolucionista ‘é uma visão mundo que não contempla Deus. O ateísmo tem sido tentado em várias sociedades e tem induzido a crimes de desrespeito aos direitos dos cidadãos.'”

Fala que a idea evolucionista não contempla Deus… Mas não menciona que a ICAR, a maior igreja cristã do mundo, aceita o evolucionismo, e isso não abala a fé de seus fiéis. O evolucionismo nada tem a ver com o ateísmo, ele simplesmente explica como as espécies evoluíram, isso é ciência.

Depois ele manipula o discurso, e já não fala em ensino do evolucionismo, mas sim em tentativas de induzir sociedades ao ateísmo! E o ateísmo levando a crimes, como se todos criminosos fossem ateus. Estudos já mostraram que isso é uma falácia, aqui colocada apenas para demonizar o ateísmo (http://ex-cristao.blogspot.com/2010/08/criminalidade-e-o-fator-deus-no-coracao.html).

Também fala em desrespeito aos cidadãos, quando são religiosos que, muitas vezes, querem tornar suas crenças em leis para que todos, quer compartilhem ou não de suas crenças, façam e sigam exatamente o que eles acreditam ser o correto. Isso sim é desrespeito. Um bom exemplo é a Arábia Saudita, país onde a apostasia pode ser punida com a morte.

Chega a vez do Brasil:

“No território brasileiro, onde o evolucionismo é ensinado em larga escala nas escolas, o criacionismo já está crescendo e ocupando um espaço maior nos livros didáticos.”

Foge do meu conhecimento esse dado. Até porque ele foi inventado. O criacionismo não pode ser ensinado nos livros didáticos, até porque criacionismo não é ciência (https://worldevolution.wordpress.com/2009/11/24/criacionismo-nao-e-ciencia/)

“as igrejas precisam promover mais encontros e eventos para debater o assunto e dissipar os mitos em torno tanto do evolucionismo quanto do criacionismo”

As igrejas? Está claro, nesse curto artigo, que a igreja não tem capacidade de educar cientificamente quem quer que seja. O evolucionismo é, e deve ser, ensinado na escola, o criacionismo é fé, e nada tem a ver com educação.

“Para o reverendo, os jovens cristãos muitas vezes não têm fundamentos sólidos para responder aos ataques de ateus e evolucionistas nas salas de aula e principalmente nas universidades.’Não é de admirar que muitos jovens evangélicos percam a fé quando entram na universidade, onde são confrontados com uma visão de mundo evolucionista, naturalista e ateia’, diz.”

Ataques de ateus e evolucionistas, como se fossemos perversos destruidores de fé. Se jovens perdem a fé por conhecerem o evolucionismo, isso não significa que o evolucionismo não exista, mas sim que esse tipo de fé tem bases tão fracas que é capaz de desmoronar por uma simples constatação científica real.

“Um dos poucos argumentos que unem fé e ciência é a teoria do ‘design inteligente’, que afirma a existência de uma ‘mente inteligente’ por trás de cada aspecto da vida, particularmente nas informações contidas nas moléculas de DNA das células.”

Refutei o “design inteligente” AQUI também.

Recomendado: Qual a situação da Educação Científica no Brasil

Esclarece bastante coisa.

HOME

Confira o CONTEÚDO DO BLOG por ordem de popularidade.

Veja mais críticas

Categorias:Charlatanismo, ciência Tags:

Bruxo Chik Jeitoso prevê morte de CQC

junho 13, 2011 2 comentários

Isso é um retrato do que eu venho escrevendo há anos nesse blog, agora me aparece um “bruxo” chamado CHIK JEITOSO, prevendo morte de um integrante do CQC. Como se não bastasse tanta coisa ridícula ocorrendo no Brasil….

Esse vídeo cai como uma luva no que eu escrevi na minha penúltima postagem.

A bizarrice ainda se diz guru, mestre e místico com clientes em mais de 107 países… A tragédia mesmo é que tem gente que acredita e dá dinheiro pra gente desse tipo.

Leia mais sobre CIÊNCIA.

Leia mais sobre CHARLATANISMO.

HOME

Confira o CONTEÚDO DO BLOG por ordem de popularidade.

Veja mais críticas

Por que não confiam na ciência?

maio 26, 2011 1 comentário

“Sem margem de dúvida, 21 de maio é a data”, disse Harold Camping, um pastor evangélico norte americano, prevendo o fim do mundo para esse ano. Continuou “Haverá um enorme tremor de terra que fará o sismo do Japão parecer um piquenique escolar”. Ele não apenas disse, ele fez propaganda em rádios, ônibus, outdoors… Para avisar a todos que o mundo ia acabar, agora… como ele “sabia” disso? A resposta é óbvia, ele não sabia, mas não se deu por vencido. Depois do fracasso da previsão, ele disse: “O mundo foi julgado no dia 21 de Maio, mas foi um julgamento invisível. Não o podemos ver com os olhos, mas o julgamento já começou de forma espiritual”.

Julgamento invisível… Parece piada, não? Como aquela história “eu sabia que estava errado, mas estava testando vocês, ha-ha”. O problema é que as consequências desses devaneios de uma mente doente, decrépita e pútrida não são nada engraçadas. Várias pessoas que seguem esse pastor e crêem nas suas profecias não foram trabalhar, arriscando peder seus empregos, governos têm prejuízos com diminuição no comércio, em publicidade para diminuir o impacto da declaração e até uma mulher tentou matar os filhos.

O que a ciência dizia ao mesmo tempo? Que nada estava cientificamente previsto.

No Brasil, temos Jucelino da Luz, que afirma prever todos os desastres do mundo. No começo de cada ano, Jucelino disponibiliza em seu site previsões para os próximos 365 dias mas, curiosamente, nada daquilo acontece. Mas, mais curioso ainda, é que quando uma catástrofe acontece, como ocorreu no Japão em março, seu site é atualizado num prazo de 12 horas, com uma carta, cheia de carimbos e selos, que ele teria mandado ao governo local para evitar a catástrofe. Estranhamente, niguém recebe as cartas que ele afirma ter enviado, nem Ana Maria Braga sobre seu câncer, nem o governo da Indonésia sobre o Tsunami, nem os responsáveis pela TAM sobre a queda do avião, nem o governo do Japão. Jucelino é um mestre na arte de prever o passado e de adulterar documentos, como mostrou o site Ceticismo Aberto. (Você pode ler mais sobre Jucelino da Luz neste LINK).

O que a ciência dizia ao mesmo tempo? Que nunca houve NENHUMA evidência científica de paranormalidade confirmada.

Esses casos listados acima são apenas exemplos de casos notáveis onde a “sensitividade” e a “profecia religiosa” falharam. Nos últimos 10 anos tivemos uma avalanche de previsões de fim do mundo através de catástrofes. Na década de 1990 foi comum a previsão de desastres que matariam muitas crianças em parques de diversões no interior de São Paulo por “videntes”: nenhum nunca ocorreu. O que dizer então das consultas que as grandes emissoras de TV do país fazem a “sensitivos” e astrólogos para descobrir resultados de jogos durante a copa do mundo? E das massivas aparições dos mesmos no começo de cada ano, fazendo previsões de quem ficará grávida, quem vai casar, quem vai separar, como vai ser a economia? Por que será que se dá tanto valor a previsões espúrias, onde não há a mínima lógica para tais afirmações? Acho que conheço alguns motivos, mas vamos desenvolver.

A ciência é o melhor meio que existe para se fazer previsões sobre o futuro, para exemplificar, veja esse trecho do livro “O Mundo Assombrado pelos Demônios” de Carl Sagan:

“[…]imagine que você queira saber o sexo do seu filho que está para nascer[…] Você poderia suspender um relógio de pulso ou um peso de fio de prumo acima do abdômen da mãe grávida; se ele balançar para esquerda e para direita, é um menino, se balança para frente e para trás, é uma menina. O método funciona uma vez em duas. […] Mas se você realmente quer saber, então você faz uma amniocentese, ou sonograma; e aí suas chances de acertar são de 99 em 100. Não é perfeito, mas é muito melhor do que uma em duas. Se você realmente quer saber, recorra à ciência.

Ou suponha que você queira saber quando é o próximo eclipse solar. A ciência faz algo realmente espantoso: ela pode lhe dizer com um século de antecedência onde o eclipse ocorrerá na Terra e quando, digamos, chegará à totalidade, com precisão de segundos. Pense no poder de predição que isso significa. Imagine o quanto você deve entender para ser capaz de dizer quando e onde ocorrerá um eclipse num futuro tão distante”.

Há muitos outros “futuros” que podemos prever com precisão através da ciência. Através de exames genéticos, podemos saber se a pessoa tem predisposições a diversas doenças, como câncer (mama, intestino etc), lúpus eritematoso sistêmico, AIDS/HIV-1, síndrome de Li-Fraumeni, glioma etc. Um recente exame de retina consegue identificar com 20 anos de antecedência se uma pessoa terá mal de Alzheimer. Através de análises espaciais, podemos saber se há um imenso asteróide em rota de colisão com nosso planeta, também conseguimos prever atividades solares, e solicitar atitudes que evitem alterações drásticas no meio ambiente.

Apesar disso, muitas pessoas persistem a acreditar em “visões sobrenaturais”, leituras de cartas, astrologia… E isso não muda muito de acordo com o grau de instrução da pessoa: vemos pessoas ricas, famosas, com educação nas melhores escolas, totalmente supersticiosas.

E eu pergunto novamente, por quê?

Um dos motivos, ao meu ver, é que a ciência não é sensacionalista, não busca causar impacto e está sempre mantendo o compromisso com a verdade. Ao contrário, os senhores da superstição (“sensitivos”, astrólogos, “paranormais”, tarólogos) buscam sempre uma “descoberta” extraordinária para ficarem em evidência e aumentar o próprio prestígio. Pouco importa se a “previsão” vá causar prejuízos no governo, em pessoas, em crentes, no comércio. O que que importa é acertar pelo menos uma grande e ficar rico. Como fez a Mãe Dinah, ao dizer que via uma nuvem (ou algo do gênero) sobre o grupo Mamonas Assassinas (ela não disse nada sobre acidente aéreo ou morte) e pronto, bombou! E o público não se importa se ela errou milhões de vezes antes, como dizer que Fernando Collor faria um excelente governo, que começaria a III Guerra Mundial em 1984 e que, em 1994, Senna teria um grande ano e o Brasil perderia a copa. E por que não se importa?

Isso me leva a outro motivo. A ciência, além de ser pouco ensinada, é MAL ensinada. Livros didáticos ensinam muito sobre O QUE a ciência descobriu e pouco sobre COMO a ciência o fez, o que é muito mais importante e valioso. Aprendemos que E=MC², mas não como Einstein chegou a isso. Aprendemos que os dinossauros foram extintos há ~65 milhões de anos atrás, mas não aprendemos como sabemos essa data. Aprendemos que π=3,14159… mas não o PORQUÊ desse valor. A ciência, sem sua melhor parte se torna chata, trôpega. O que mais da prazer na ciência é o meio de descoberta, o raciocínio, o desenvolvimento da técnica necessária para um experimento, mas isso é podado nos livros didáticos. É como ver o resultado de um jogo de futebol ao invés de assisti-lo, ler que Pelé marcou contra a Suécia na final da Copa de 1958 e não vê-lo matar majestosamente a bola no peito e dar um magnífico chapéu no zagueiro antes de assinalar.

Dessa maneira, a ciência se torna sem sal, muito menos interessante para os leigos que um cidadão vestindo roupas não convencionais dizendo (mentindo) que um planeta gigante se aproxima da Terra e vamos todos morrer. Daí chega ao ponto de um ignorante acreditar que recebe mensagens de ETs dizendo que é para todos se matarem quando o cometa Hale-Bopp passar, pois a nave estará logo atrás dele para levá-los!

Enquanto os charlatões chocam, a ciência é parcimoniosa (como deve ser). E a mídia vai atrás do que dá audiência, pouco importa se é ou não verdade.

Outro lado perverso das notícias sensacionalistas aparece na forma de “teorias da conspiração”, criadas por pessoas que não entenderam o que é ser cético e criam teorias absurdas alternativas a fatos certos bem relatados. Dentre essas teorias está a de que o homem não foi à Lua, aparecimento de ETs encobertos pelas nações e o fato do 11 de setembro ter sido causado pelo governo dos EUA!

Em meados do ano passado, houve uma montanha de vídeos pela web de pastores conspiracionistas dizendo que não era para se tomar a vacina contra a gripe H1N1 pois era a marca da besta e se tomassem, todos iriam para o inferno ou algo do gênero. Quem estivesse do lado do bem, do lado do Senhor, era para ficar longe da vacina.  Outros diziam que a vacina causava autismo. E de nada adiantava a ciência dizer que não era possível isso acontecer. Imagine só o quão perigosas são essas afirmações! Muitas pessoas deixaram de tomar a vacina devido a (perdão da palavra) imbecilóides falarem absurdos como esses. Isso é um caso de saúde pública sério, não tomando a vacina de uma doença potencialmente perigosa, a pessoa, além de poder ser infectada, ela ajuda a disseminar um vírus perigoso e gerar a morte de muito mais gente indefesa que, por ocasiões de interações medicamentosas ou possuir alguma outra doença, não pôde se imunizar! Isso é caso de prisão!

A falta de confiança e compreensão da ciência, juntamente com a divulgação desenfreada de crenças desprovidas de bases, pode afetar também seriamente a educação dos brasileiros. Um bom exemplo disso é a tentativa praticamente insana de obrigar os professores de ciência tratar um fato (a evolução) como teoria duvidosa e uma crença cientificamente improcedente (o criacionismo) como teoria científica emergente plausível. E se fala seriamente nisso. Já escrevi AQUI sobre o assunto. Vemos o quão isso está permeada nos meandros do conhecimento com o depoimento do (ex?)jogador de futebol Denílson, que declarou na TV que está certo de que os dinossauros nunca existiram. Na internet vemos vídeos com profissionais da área da saúde dizendo o absurdo de que a carne apodrece no estômago e que animais herbívoros não têm câncer, para defender o vegetarianismo.

Podemos observar, assim, o quão perigosas podem ser uma superstição e uma ideologia fanática e, principalmente, a propagação destas para a população, podendo se transformar numa doutrinação. A mídia descompromissada é cúmplice desse cenário e muitas vezes protege charlatões mesmo quando estes são desmascarados. O ensino científico não direcionado também favorece para a aparição desses tipos. Com isso, a educação é afetada e tudo pode virar uma bola de neve. A educação precisa ensinar direito e a mídia deve dar apoio, senão estaremos cada vez mais sujeitos a absurdos acontecerem devido a visão de um idiota ou coisa que valha.

Recomendado: Qual a situação da Educação Científica no Brasil

Leia mais sobre CIÊNCIA.

Leia mais sobre CHARLATANISMO.

HOME

Confira o CONTEÚDO DO BLOG por ordem de popularidade.

Veja mais críticas

Categorias:Charlatanismo, ciência

History Channel

abril 14, 2011 2 comentários

Infelizmente venho expressar minha grande decepção com esse canal. Quando ele entrou na grade de programação eu fiquei realmente muito feliz, pois o Discovery Channel há muito havia se rendido a documentários paupérrimos em conteúdo e reality shows totalmente incoerentes ao propósito.

Vejo que isso está também acontecendo com o History. Programas absurdos e sensacionalistas, que nem se dão ao trabalho, quando se trata de ciência, a seguir uma metodologia científica, nem que seja básica. Top Shot (propaganda da indústria de armas?), Os Super-Humanos de Stan Lee e Fatiado, programas dos mais apelativos e que nada acrescentam à vida de ninguém que esteja acompanhando, sem contar que nada têm a ver com história. Já Caçadores de Relíquias, Trato Feito, tem a ver com história, mas estão muito aquém do nível mínimo para não ser desprezível. Caçadores de Óvnis e Arquivos Extraterrestres são os que mais me deixam preocupado, visto a incrível ausência da metodologia científica que deveria ter papel central nesses casos de teoria da conspiração e crendice fanática, um charlatanismo horroroso, são programas fracos com argumentação espúria ao extremo.

O que aconteceu com os excelentes programas sobre a história? Cadê o poço histórico que transbordava cultura nesse canal? Tudo bem que haja um programa ou outro com um nível péssimo, mas toda essa avalanche? Pra quê? Esses programas deveria ser a exceção da programação, e não O Universo, Exploração Inca e Filmes da Segunda Guerra!

Há tanta história para contar! Nunca vi um programa sobre a I Guerra Mundial, parece que ela não existiu!!! Seria tão interessante! O que dizer então dos grandes nomes da Ciência? E da política e economia pós I Grande Guerra? E da Revolução Russa? Sem contar as mais antigas histórias da humanidade! Eles costumavam a contar… seria utopia esperar que voltassem a fazer o mesmo novamente?

HOME

Confira o CONTEÚDO DO BLOG por ordem de popularidade.

Veja mais críticas

Analfabetismo Científico

março 1, 2011 Deixe um comentário

O que faz alguém usar crença religiosa para tentar deturpar fatos científicos? Quais os motivos da negação de um ser humano à investigação científica? Eu não sei, mas no caso do amigo acima, parece haver alguns motivos principais. Um deles certamente é a extrema ignorância científica que inunda seu cérebro, outro talvez seja o fato de que sua crença em seu deus seja tão frágil que uma simples constatação científica derrube por terra todas suas convicções.

Primeiramente, podemos observar que nosso interlocutor não faz ideia do que está falando. Ele tenta contra argumentar a evolução por meio de “verdades” pré-existentes, dizendo que seu deus existe e isso é fato, e fazendo uma dualidade excludente restrita entre Deus e evolucionismo, ou seja, se você acredita num deus você não pode aceitar o evolucionismo, se você aceita o evolucionismo você não pode acreditar num deus. Fala também em “acreditar” na teoria da evolução.

Como sempre digo, o evolucionismo não é uma crença, ele é científico. Temos evidências vivas, fósseis, moleculares, biológicas, químicas, geológicas, laboratoriais etc que corroboram a evolução. Ela tanto não é incompatível com a religião que a própria Igreja Católica Apostólica Romana a admite e diz que esse fato científico não desqualifica Deus de suas propriedades, e eu concordo com isso. Na minha opinião, uma pessoa que nega tamanhas evidências científicas é porque elas podem destruir sua crença, culminando no diagnóstico de que sua fé é fraca.

A ignorância científica do rapaz é escancarada quando diz que a teoria de Darwin diz que “o nada criou o nada”. Penso que as pessoas deveriam conhecer o que estão atacando antes de falar qualquer asneira. O darwinismo não diz que o nada criou o nada, ele apenas diz que as espécies que existem hoje chegaram até determinada morfologia através de uma evolução guiada através da seleção natural, Num belíssimo e exaustivo trabalho de 30 anos.

Agora, como alguém que não faz ideia do que se trata o darwinismo e não sabe o que é a metodologia científica pode dizer que o darwinismo não tem fundamento? Eis o argumento que nosso infame camarada lança: “tudo que ‘anela’ é um erro, tudo que ‘anela’ Darwin se equivocou”… não me perguntem o que quis dizer com “anela”, acho que foi uma palavra que ele usou pra preencher a frase, ela poderia ser substituída por “coiso”, “negócio”, “carrinho-de-mão” ou qualquer outra coisa. Depois completa que é um erro tremendo… um erro tremendo é o pífio sistema educacional brasileiro que não consegue explicar o conteúdo básico e fundamental da biologia para um jovem estudante. Essa educação cada vez mais pobre falha em alfabetizar cientificamente o cidadão brasileiro, que cresce e fala o que bem entender, sem entender de nada, fazendo ainda pose de mau…

Através de perguntas inocentes, respostas equivocadas e dois “vinheram”, o autor do vídeo tenta fazer valer sua visão de que a ciência não dá respostas, mas só consegue provar que a educação brasileira não foi capaz de alfabetizá-lo nem cientificamente, nem linguisticamente. Entre as pérolas mais notáveis encontramos a “explicação” de que o “organismo unicelular veio através da fusão de gases da atmosfera” (numa completa má interpretação das ideias de Oparin) e que estes gases “vieram de uma outra galáxia” (demonstrando total incompreensão do que é uma galáxia). Chegando então à derradeira pergunta: “o nada veio do nada?”

Agora, o nada veio do nada?

A ciência ganhou um “upgrade” com a genialidade de Albert Einstein, no início do século XX, com a formulação da famosa e maravilhosa teoria da relatividade. Diferente de tudo que existia em ciência até então, Einstein nos proporcionou uma visão de um universo que não era lógico aos olhos humanos. Um universo no qual a luz faz curva, no qual o tempo varia de acordo com a velocidade, um universo no qual tudo é relativo. Einstein conseguiu superar a limitação dos sentidos humanos na observação e enxergou adiante. Com o crescimento posterior da física quântica obtemos cada vez mais respostas que nos parecem inverossímeis, ilógicas, mas que realmente acontecem. Com essa nova abordagem, o ser humano consegue ter alguns vislumbres de como teria sido o início de tudo, aplicando a teoria quântica, dando modelos consistentes até mesmo do surgimento do universo à partir de um “nada”.

A resposta não é única e não é definitiva, sendo todas as respostas especulações. Mas o fato de não se ter uma resposta não significa que essa resposta não exista. Alguns podem acreditar que alguma entidade superior foi a causa do Big Bang (que o autor do vídeo acha que foi uma “estrela que explodiu”) e ser classificados como deísta. Outros podem não crer na necessidade de uma inteligência superior para o “estopim”, e ser classificados como ateus. Através de novas observações e novos gênios, a ciência pode descobrir que esteve num caminho errado e modificar e/ou adaptar suas teorias, mas ela nunca vai desistir ou evitar entender.

Ele termina seu “discurso” com argumentos fraquíssimos, que respondo apenas por diversão. Acho interessante a convicção e arrogância em que o homenzinho de branco descarta fatos cientificamente provados dizendo que eles não tem fundamento sem conhecê-los, numa confissão de sua ignorância, e continuando a demonstrar o quão ignóbil é sua fé, que pode ser derrubada por descobertas que os seres humanos fazem com seus limitados cinco sentidos num planeta com menos de 13 mil quilômetros de diâmetro num universo com estimados 156 bilhões de anos-luz de extensão. Fé mesmo tem os que não ignoram a ciência, que a conhecem, e que a compreensão e aceitação de todas as mais profundas descobertas científicas não são capazes sequer de arranhar uma fagulha do que sentem, porque esses sim creem de verdade. Quem nega o óbvio e tenta distorcê-lo ou não compreendê-lo para acreditar num deus, como faz o autor do vídeo, é apenas um ignorante que acha conhecer a “verdade absoluta”. Isso não é fé, é estupidez.

O “argumento” que ele acha tão valioso “você acreditando em Deus, Deus existe; você não acreditando em Deus, Deus continua a existir, ele não depende do seu crer” pode facilmente ser refutado com o argumento igualmente ingênuo “você não acreditando em Deus, Deus não existe; você acreditando em Deus, Deus continua a não existir, ele não depende do seu crer”. Se alguém achar que isso é argumento para acreditar em Deus, ela “está fazendo isso errado” e não entendeu nada do que é realmente crer.

A piada final é que o vídeo é uma pergunta aos ateus mas, no youtube, logo abaixo dele lemos: “Não é possível postar comentários sobre este vídeo.” Você tem medo de que?

Recomendado: Qual a situação da Educação Científica no Brasil

Leia também CRIACIONISMO NÃO É CIÊNCIA.

HOME

Confira o CONTEÚDO DO BLOG por ordem de popularidade.

Veja mais críticas

Homeopatia

fevereiro 7, 2011 Deixe um comentário

O que é Homeopatia?

Todos os créditos para Kentario Mori do Ceticismo Aberto e Sedentário Hiperativo.

Visando protestar em relação a uma prática absurda que continua sendo utilizada em pleno século XXI, céticos de todo o mundo cometeram suicídio coletivo tomando uma overdose de medicamentos homeopáticos. O que aconteceu? NADA. Pois homeopatia nada mais é que água. Eu não consigo acreditar que o conselho federal de medicina pode aprovar uma superstição dessa, sem nenhuma comprovação científica, nem argumentação científica crível.

Abaixo um vídeo bem humorado sobre a homeopatia:

HOME

Confira o CONTEÚDO DO BLOG por ordem de popularidade.

Veja mais críticas

A Mudança dos Signos

janeiro 14, 2011 Deixe um comentário

Não se fala em outra coisa na internet: Querem adicionar um outro signo no zodíaco. Apesar das chuvas castigando o Brasil inteiro, tragédias com várias pessoas mortas, aumento da epidemia de dengue, tudo o que se acha na internet é sobre a mudança dos signos.

Sabe no que isso implica na vida das pessoas? Nada. Astrologia não serve pra NADA, e tudo o que vemos nas bancas no começo do ano são revistas e mais revistas falando dos signos, o que vai acontecer, o que os astros revelaram. Um misticismo que não favorece EM NADA para pessoa NENHUMA. Enfim, deixo em vídeo aqui abaixo minha opinião.

Os signos podem mudar, o que eu acho?

HOME

Confira o CONTEÚDO DO BLOG por ordem de popularidade.

Não deixe de ver o que diz James Randi sobre misticismo AQUI.

Veja também a postagem sobre a farsa dos videntes AQUI.

Veja mais críticas